Acesso ao principal conteúdo
SÃO TOMÉ E PRINCIPE

Doença gera preocupação em São Tomé e Príncipe

Hospital Ayres de Menezes, em São Tomé
Hospital Ayres de Menezes, em São Tomé RFI/Liliana Henriques

Cerca de 2 000 pessoas teriam sido afectadas por uma estranha patologia em São Tomé e Príncipe, duas outras teriam morrido.  A OMS enviou para o arquipélago um perito do Benim. Suspeita-se de tratar-se de úlcera de Buruli.

Publicidade

As autoridades sanitárias são-tomenses estão a desenvolver esforços junto aos laboratórios de alguns países como Camarões, Gabão e Portugal para se apurar as causas da doença.

Um especialista português, Kamal Mansinho, também já se deslocou ao arquipélago no intuito de se conseguir debelar estes casos, tratando-se de um perito em Úlcera de Buruli, doença infecciosa tropical que afecta a pele, sobretudo as extremidades.

Uma patologia provocada pela Mycobacterium Ulcerans, bactéria da mesma família das que provocam a lepra e a tuberculose. Desconhece-se ainda o meio de transmissão desta infecção que em 80% dos casos detectados a tempo pode curar-se com uma combinação de antibióticos.

Dores nos membros inferiores e comichão são alguns dos sintomas.

Desconhecendo-se por ora o agente patológico são muitos os doentes em internamento no Hospital Ayres de Menezes, alguns deles desde finais de Outubro, um encargo substancial para a unidade de saúde como refere Maria Tomé Palmer, directora de cuidados primários de saúde.

 

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Faça o download da aplicação

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.