Acesso ao principal conteúdo
São Tomé e Príncipe

São Tomé e Príncipe: Governo vai recorrer da decisão do STJ

O Primeiro - ministro santomense Patrice Trovoada (imagem de arquivo)
O Primeiro - ministro santomense Patrice Trovoada (imagem de arquivo) DR

O governo santomense continua aberto ao diálogo com os funcionários judiciais, e do Ministério Público,  que estão em greve há mais de 40 dias. Dos oito pontos reivindicados pelos grevistas, sete já encontram consenso.  Mas o problema ainda não está completamente resolvido. 

Publicidade

Dois oito pontos reivindicados pelos grevistas, sete já encontram consenso, segundo afirmou o Primeiro-ministro santomense, Patrice Trovoada em entrevista concedida aos jornalistas. O ponto polémico, prende-se com a questão financeira :
 

“Havia oito reivindicações; sete foram ultrapassadas. Só resta uma, que é importante. Espero que isto não foi só por causa duma reinvindicação. Vamos falar nos proóximos dias para ver se podemos avançar”, disse Patrice Trovoada.
 

Relativamente ao acórdão do Supremo Tribunal de Justiça, que anula a inspecção efectuada a alguns juízes santomenses pelos inspectores portugueses em 2015, o acórdão propõe a reintegração dos juízes que tinham sido afastados .

Mas Patrice Trovoada não concorda com a reintegração, e vai recorrer da  decisão dos Tribunais que decidiu reconduzir os juízes que tinham sido classificados como medíocres, e afastados das suas funções. 
 

Oiça aqui a crónica de Maximino Carlos, correspondente da RFI em São Tomé e Príncipe. 

 

 

Entretanto, nesta que é a sua primeira comunicação à imprensa do seu País desde que terminou no passado dia 17 de Abril a sua vista oficial à China, o Primeiro-Ministro são-tomense, Patrice Trovoada, deu alguns dados concretos sobre o tipo de apoio que o executivo chinês vai oferecer a São Tomé e Príncipe.

Em entrevista à comunicação social são-tomense, Patrice Trovoada, revelou que a China prevê donativos da ordem dos 146 milhões de Dólares para o financiamento de projectos na área das infra-estruturas, assim como linhas de crédito tanto para o sector público como para o sector privado "em projectos que contribuam para o crescimento económico do país".

Ainda de acordo com o chefe do governo, a China oferece igualmente 200 estágios de capacitação e ainda 60 bolsas de estudo por ano aos jovens são-tomenses, Patrice Trovoada tendo ainda anunciado que a dívida de 28 milhões de dólares do seu País para com Pequim ficou anulada.

Oiça aqui as declarações de Patrice Trovoada, recolhidas pelo correspondenteda RFI,  Maximino Carlos.

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.