Acesso ao principal conteúdo
Sao Tomé e Príncipe

Cabo submarino vai ligar São Tomé e Príncipe à África do Sul

REUTERS/Kacper Pempel/Files

São Tomé e Príncipe já ligado a França por um cabo submarino de telecomunicações, terá a partir de 2019 um segundo com ligações com a África do Sul, Angola e Namíbia, o que deverá atrair investimentos.

Publicidade

São Tomé e Principe acolheu na passada terça-feira (3/10) o cabo submarino de telecomunicações via internet, que depois de percorrer cerca de 4.500 kms deverá chegar à África do Sul em 2019, depois de passar por Angola e pela Namíbia.

Este foi o quarto segmento da segunda fase da ligação por cabo submarino, dado que o primeiro ligou em 2012 São Tomé e Príncipe à França, contornando a costa ocidental de África.

Trata-se de um investimento de mais de 700 milhões de dólares, envolvendo 20 entidades de 18 países e que vai transformar o aquipélago num centro de conexão importante, com disponilidade de internet capaz de oferecer serviços de qualidade a empresas que se queiram instalar no país.

As duas empresas de telecomunicações que operam em São Tomé e Príncipe fazem parte do consórcio STP-Cabo, gestor do cabo submarino no qual o Estado santomense é parceiro.

O novo cabo que seguiu para o sul do continente africano estará operacional em 2019 e para Carlos Vila Nova ministro santomense de infra-estruturas "isso faz com que de facto nós tenhamos aberto o caminho, para que mais 4.500 ou 4.400 kms de cabo rumo ao sul, aterrar na África do Sul, passando por Angola e Namíbia, vai-nos conectar em termos alternativos e eventualmente também para o lado do Brasil, quando Angola fizer a sua parte, então nós estaremos com uma capacidade de ligação invejável".

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Faça o download da aplicação

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.