Acesso ao principal conteúdo
São Tomé e Príncipe

MP são-tomense questiona separação de poderes

Balança da Justiça
Balança da Justiça DR

O Ministério Público são-tomense condena a detenção de Américo Ramos, antigo ministro são-tomense das Finanças pela Policia Judiciária (PJ). Para esta instituição judicial, a actuação viola o princípio de separação de poderes.

Publicidade

Em comunicado sem direito a qualquer pergunta dos jornalistas, o Procurador-Geral da República, Kelve Carvalho, disse que a actuação da PJ viola o princípio da separação de poderes.

A prisão preventiva do ex-ministro foi decreta na quinta-feira e a sua advogada, Celiza de Deus Lima não concorda com os procedimentos.

Carlos Vila Nova, ex-ministro das Obras Públicas, foi interrogado na Polícia Judiciária e no Ministério Público, foi posto em liberdade por esta última instituição.

O governo, através do seu porta-voz Adelino Lucas, disse que outros casos serão objectos de denúncia na Policia Judiciária.

A Ordem de Advogados, através da sua Bastonária, Célia Posser afirma que não se pode pronunciar com toda propriedade sobre este caso, por não dispor de informações suficientes, como nos relata o nosso correspondente em São Tomé, Máximino Carlos.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Faça o download da aplicação

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.