Acesso ao principal conteúdo
São Tomé e Príncipe

São Tomé e Malabo pretendem relançar cooperação

Elsa Pinto, Ministra dos Negócios Estrangeiros, Cooperação e Comunidades de São Tomé e Príncipe
Elsa Pinto, Ministra dos Negócios Estrangeiros, Cooperação e Comunidades de São Tomé e Príncipe Cristiana Soares

São Tomé e Príncipe e a Guiné Equatorial pretendem relançar a sua cooperação bilateral. A área do petróleo afigura-se como sendo a mais promissora para além do turismo e o sector dos transportes. A Ministra dos Negócios Estrangeiros, Cooperação e Comunidades viajou esta Segunda -feira rumo à Guiné Equatorial para relançar esta cooperação. 

Publicidade

A Ministra Elsa Pinto vai retomar a proposta equato-guineense da criação de uma empresa mista de exploração do petróleo para posterior partilha dos benefícios, ideia que tinha sido expressa pelo Presidente Obiang durante a sua última visita ao arquipélago em 2015, referindo-se às reservas existentes na fronteira marítima entre os dois países, reservas que segundo estudos divulgados já naquela altura apontavam para um forte potencial.

O facto de a Ministra fazer-se acompanhar pelo titular do pelouro dos recursos naturais, Osvaldo Abreu que tutela a área de petróleos, do Ministro da economia azul, Osvaldo Vaz também titular da pasta das finanças é revelador de que São Tomé está apostado em concretizar este projecto.

Além das questões petrolíferas, o executivo são-tomense pretende igualmente algum apoio directo da parte de Malabo para o Orçamento Geral do Estado para o presente ano e a aplicação de acordos já celebrados nos domínios dos transportes aéreos e marítimos.

No passado mês de Dezembro, o embaixador da Guiné Equatorial em São Tomé tinha formalizado a disponibilidade do seu país em "trabalhar para a materialização desses acordos" e também tinha expressado a abertura do seu país para a "exploração de novas áreas de cooperação".

Neste sentido, o Primeiro-ministro são-tomense Jorge Bom Jesus, já deu indicação que tenciona brevemente visitar a Guiné Equatorial para iniciar o novo ciclo de cooperação entre os dois países.

Mais pormenores aqui.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.