Acesso ao principal conteúdo
Sao Tomé e Príncipe

São Tomé incentiva produção agrícola para reduzir importações

Roça d’Agua Izé, Sao Tomé.
Roça d’Agua Izé, Sao Tomé. (L. Dunod/RFI)

Cantagalo, distrito a sul da ilha de S.Tomé com grande potencial na agropecuária, poderá ser modelo de desenvolvimento agrícola, incentivando o consumo interno para reduzir as importações de bens alimentares.

Publicidade

Cantagalo, distrito situado a 10 kms a sul da capital S.Tomé com grande potencial na área da agropecuária, dispõe de algumas antigas explorações agrícolas da era colonial - roças - que na altura produziam inúmeras culturas, entre elas o cacau.

Caso da roça Água Izé que é um dos maiores produtores de copra e cacau no arquipélago e ostenta o nome do colono português que introduziu a cultura do cacau no arquipélago: o Barão de Água Izé.

O governo saotomense pretende reduzir cada vez mais a importação de bens alimentares e para tal está a desenvolver uma campanha de sensibilização para a produção e consumo de produtos alimentares nacionais, através da realização de feiras na Ilha de São Tomé.

Uma das estratégias utilizadas tem sido a realização de feiras agropecuárias e de transformação de produtos agrícolas nos distritos da Ilha de São Tomé e a última terminou este domingo (28/07) em Cantagalo.

As feiras têm sido temáticas, incidindo no consumo da banana, matabala - tubérculo muito consumido na ilha - carne de porco e outros produtos hortícolas.

O ministro da agricultura e desenvolvimento rural Francisco Ramos defende a realização sequencial deste tipo de feiras, para promover a agricultura nacional e o primeiro-ministro Jorge Bom Jesus entende que é preciso pensar na exportação de alguns produtos agrícolas de qualidade.

Com a colaboração de Maximino Carlos, nosso corrspondente em São Tomé.

 

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.