Guiné Conacri

Confrontos antes da segunda volta das eleições na Guiné Conacri

Na Guiné Conacri, os eleitores deslocaram-se em massa no passado 27 de junho para participar nas primeiras eleições democráticas que o país conheceu nos últimos 50 anos.
Na Guiné Conacri, os eleitores deslocaram-se em massa no passado 27 de junho para participar nas primeiras eleições democráticas que o país conheceu nos últimos 50 anos. AFP/Seyllou

 Os apoiantes dos dois candidatos à segunda volta das eleições presidenciais na Guiné Conacri voltaram a envolver-se em confrontos este Domingo. 

Publicidade

Os incidentes deram-se nos arredores da capital onde se encontram as sedes de campanha dos dois candidatos, Cellou Diallo e Alpha Conde, que vão disputar a segunda volta já no próximo dia 19 de Setembro.

Dezenas de militantes arremessaram pedras e destruíram viaturas. Já no Sábado confrontos semelhantes fizeram cerca de vinte feridos, seis dos quais em estado grave.

A violência deste fim-de-semana começou devido à condenação de dois dirigentes da Comissão Eleitoral Nacional Independente, acusados de fraude eleitoral.

Ainda no início deste mês Alpha Condé e Cellou Diallo assinaram no Burkina Faso, pais que através do seu presidente Blaise Compaoré serve de mediador da crise na Guiné Conacri, um acordo de paz onde ambos se comprometem a respeitar-se mutuamente até às eleições.

Os confrontos de Sábado e Domingo ameaçam as boas intenções dos dois candidatos e aumentam a tenção para a segunda volta das presidências na Guiné Conacri, marcadas para o próximo Domingo, dia 19 de Setembro.

Na primeira volta, há já quase três meses, Cellou Diallo venceu com 43,69% dos votos, seguido por Alpha Conde com 18,25% das preferências.
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.