ANGOLA

Angola procede à remodelação parcial do executivo

José Eduardo dos Santos, presidente de Angola
José Eduardo dos Santos, presidente de Angola UN Photo/Evan Schneider

O presidente angolano, José Eduardo dos Santos, procedeu à remodelação parcial do seu executivo. Uma mudança que abarca essencialmente dois setores: a economia e as forças armadas. O Banco Nacional de Angola, também não escapou ao decreto presidencial.

Publicidade

As alterações do governo angolano não chegaram de forma inesperada, isto porque desde há vários dias que a própria imprensa nacional veiculava esta possibilidade.
De acordo com o comunicado de imprensa da Presidência da República, o chefe de Estado angolano decidiu extinguir o Ministério de Estado e da Coordenação Económica, em sua substituição criou o Ministério da Economia. Com esta decisão, o presidente de Angola afasta Manuel Nunes Júnior, o ex titular da pasta da Coordenação Económica, do Governo.

Justino Pinto de Andrade, presidente do Bloco Democrático

A outra grande novidade desta remodelação é a substituição do Chefe de Estado Maior General das Forças Armadas. Neste sentido, o general Geraldo Sachipengo Nunda passa a substituir o general Francisco Pereira Furtado. Alem disso, o general Jorge Barros Nguto foi nomeado para o cargo de Adjunto do Chefe de Estado Maior das Forças Armadas.
O Presidente José Eduardo dos Santos procedeu, ainda, à exoneração de Abraão Pio dos Santos Gourgel, do cargo de governador do Banco Nacional de Angola (BNA) e de Laura Maria de Alcântara Monteiro, do cargo de vice-governadora do BNA

Sobre a remodelação parcial do executivo angolano, a RFI ouviu Justino Pinto de Andrade, presidente do Bloco Democrático e analista político de Angola.

Justino Pinto de Andrade, presidente do Bloco Democrático

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.