FAO

FAO revela que Angola vive em penúria alimentar

Logotipo da Organização da ONU para a Agricultura e Alimentação (FAO)
Logotipo da Organização da ONU para a Agricultura e Alimentação (FAO) Montage RFI

 Um novo relatório da Organização da ONU para a Agricultura e Alimentação, FAO, revela que vinte e dois países em todo o mundo, entre os quais Angola, enfrentam períodos de penúria alimentar a longo prazo.

Publicidade

O documento avança ainda que apenas uma ínfima parte da ajuda para o desenvolvimento, nessas nações, é aplicado em setores cruciais como a agricultura e o ensino. Angola, faz parte da lista de países que sofrem de crises alimentares prolongadas com um índice global de fome no pais, registado em 2009, a chegar aos 25,3 por cento.

Além de Angola a lista é engressada pelo Afeganistão, Burundi, Chade, Congo, Costa do Marfim, Eritreia, República da Guiné, Haiti, Iraque, Quénia, Libéria, Republica Centro Africana, Republica Democrática do Congo, Coreia do Norte, Serra Leo, Somália, Sudão, Tajiquistão, Uganda e Zimbabué.

Estes países são definidos pela FAO como aqueles em que a predominância da fome é alta e onde não existe uma capacidade de resposta para a combater. Segundo o relatório, os conflitos armados, as catástrofes naturais e uma governação insignificante, são fatores que contribuem para esta situação. Em termos gerais, o relatório lembra que o numero estimado de subnutridos em todo o mundo, passou num ano de 1,02 milhões de pessoas para 925 milhões, localizadas na sua maioria na Ásia e na África.

Mas nem tudo são más notícias, o relatório refere que Moçambique é um exemplo a seguir no que diz respeito ao crescimento económico e à redução da pobreza.

Um aspeto fundamental para a recuperação pós conflito, citado pelo documento, foi o esforço realizado pelo país para resolver as questões relativas ao acesso à terra. No entanto, salienta ainda, a estabilidade macroeconómica, a reforma normativa, o investimento governamental em favor da população pobre e uma ajuda massiva de apoio ao desenvolvimento socioeconómico

Sobre a situação que se vive actualmente em Angola, a RFI ouviu, Carlos Figueiredo, Agrónomo e membro da ADRA, Ação para o Desenvolvimento Rural e Ambiente, que afirma que a situação de penúria alimentar em Angola não se justifica e revela que as políticas seguidas até agora não colocam o combate à pobreza com uma prioridade.

Carlos Figueiredo, agrónomo e membro da ADRA.

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.