FOME

Guiné-Bissau, Moçambique e Angola integram lista onde a fome é alarmante

Populações carenciadas no interior de Moçambique
Populações carenciadas no interior de Moçambique Carlos Jossia

Guiné-Bissau, Moçambique e Angola constam numa lista de 25 países onde o aumento do índice de fome é "alarmante". O anúncio foi feito pelo Instituto Internacional de Pesquisa sobre Políticas Alimentares (IFPRI) que, esta terça-feira, publicou o Índice da Fome no Mundo 2010.

Publicidade

De acordo com o Índice da Fome no Mundo 2010, a fome atinge mil milhões de pessoas e assumiu proporções alarmantes em perto de trinta países devido à pobreza, aos conflitos e à instabilidade.

Dos cento e vinte e dois países estudados, em quatro (República Democrática do Congo, Burundi, Chade e Eritreia) os níveis de fome são "extremamente alarmante". Aliás, segundo o relatório, a RDC é o estado que sofreu maior deterioração do índice.

Segue-se a fasquia do nível "alarmante" e, aqui, colocam-se 25 estados, por ordem crescente de gravidade: Nepal, Tanzânia, Camboja, Sudão, Zimbábue, Burkina Faso, Togo, Guiné-Bissau, Ruanda, Djibuti, Moçambique, Índia, Bangladesh, Libéria, Zâmbia, Timor-Leste, Níger, Angola, Iémen, República Centro-Africana, Madagáscar, Ilhas Comores, Haiti, Serra Leoa e Etiópia.

O índice da fome no mundo é calculado através de três indicadores: a proporção de população subnutrida, o baixo peso infantil e a taxa de mortalidade infantil.

Sobre o assunto, a RFI ouviu Domingos Veloso, o diretor nacional da Agricultura, Pecuária e Florestas do Ministério da Agricultura, Desenvolvimento Rural e Pescas de Angola, que não concorda com a atribuição do rótulo "alarmante" a Angola e acrescenta que no país a fome tem tido uma evolução positiva.

Domingos Veloso, o diretor nacional da Agricultura, Pecuária e Florestas do Ministério da Agricultura

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.