África

Angola assinala 35 anos de Independência

No dia 11 de Novembro de 1975 foi proclamada a independência de Angola. Trinta e cinco anos depois o balanço é positivo, contundo, há ainda, na opinião do coronel Manuel Correia de Barros pesquisador do Centro de Esatudos estratégicos de Angola, um longo caminho a percorrer.  

Publicidade

A paz alcançada em abril de 2002, continua a ser o principal ganho destes trinta e cinco anos de independência angolana. Para o coronel Manuel Correia de Barros pesquisador do Centro de Estados EStratégicos de Angola, o período do pós guerra permitiu ao povo angolano viver “pacificamente, respeitando os direitos de cada um e adquirindo as formas para podermos chegar mais longe, principalmente, no que respeita, à educação e saúde". 

Questionado sobre o facto de nestes últimos anos se ter verificado um fortalecimento da democracia, Manuel Correia de Barros, é perentório em assumir que “há uma diferença abismal do que era o sistema uni partidário, sistema que em parte nos foi imposto por uma situação mundial, o problema da guerra fria, deixou às autoridades do MPLA poucas hipóteses em fugir desse rumo”.

Contudo, Correia de Barros, acrescenta, que os processos de independência, não são processos fáceis, “não são processos fáceis onde se posso decretar o início da democracia e o fim da opressão, as coisas têm de vir paulatinamente, mas acho que estamos no bom caminho”.

 

Manuel Correia de Barros

 

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.