África Lusófona

São Tomé ainda não revelou lista de empresas interessadas em explorar os blocos de petróleo

Patrice Trovoada, primeiro ministro de São Tomé e Príncipe.
Patrice Trovoada, primeiro ministro de São Tomé e Príncipe. AFP/Fransisco Leong

O Governo são-tomense adiou a divulgação das empresas que concorreram ao leilão dos sete blocos de petróleo na zona económica exclusiva, ZEE. O anúncio foi feito chefe de governo, Patrice Trovoada, que adiantou que as listas foram rececionadas e que o Governo avisará, na altura certa, as candidatas.

Publicidade

O governo são-tomense devia anunciar ,hoje, as propostas das empresas para o leilão dos sete blocos de petróleo na Zona económica exclusiva. Contudo, o chefe de governo, Patrice Trovoada, disse apenas que foi feita a recolha da documentação e que o executivo avisará, na hora certa, as propostas das empresas candidatas à exploração dos setes blocos de petróleo da ZEE.

Patrice Trovoada, acrescentou que já se registaram algumas, candidaturas, que estão a analisar a qualidade das candidaturas, contudo, não adiantou o número de propostas recebidas, pelo seu executivo, durante os cinco meses de duração do leilão dos blocos.

Nesta fase, o governo vai avaliar as propostas apresentadas pelas empresas, que pretendem explorar os sete blocos de petróleo da Zona económica exclusiva. Uma avaliação, que segundo a Agência Nacional de Petróleo, deve passar por dois requisitos fundamentais, ou seja, as competências técnicas e financeiras da empresa que se candidata à exploração. Estes requisitos serão fundamentais na distribuição dos blocos às empresas.

Depois da avaliação, o executivo são-tomense vai dar início às conversações com as empresas interessadas, analisando as propostas, um período que pode ir até aos 30 dias, e passando depois à distribuição dos blocos para que se dê inicio à exploração do mesmo.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.