Guiné-Bissau

Greve dos magistrados paralisa a justiça na Guiné-Bissau

Balança da Justiça
Balança da Justiça Getty Images/Stockbyte

 Magistrados guineenses em greve até amanhã, dia 7 de Janeiro, reclamam melhores condições de trabalho e salariais.

Publicidade

Os magistrados da Guiné-Bissau iniciaram ontem (4/01/2011) um novo movimento de 3 dias de greve e denunciam a apatia do poder político na resolução dos problemas da justiça, que apenas constituem prioridade nos discursos políticos.

Este movimento de greve será reconduzido nos próximos dias 11, 12 e 13 de Janeiro, se as autoridades não atenderem as reivindicações salariais e de melhoria das condições de trabalho dos operadores judiciais guineenses, que aderiram a 100% à greve, o que paralisa a justiça guineense.

A paralisação foi convocada pela Associação Sindical dos Magistrados Guineeenses, pelo Sindicato dos Magistrados do Ministério Público e pelo Sindicato Nacional dos Oficiais da Justiça.

Ladislau Imbassa, presidente ASMAGUI

Mussá Baldé, correspondente da RFI em Bissau ouviu Ladislau Imbassa, presidente da Associação Sindical dos Magistrados Guineenses – ASMAGUI.

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.