Acessar o conteúdo principal
Africa/Sequestro

Reféns franceses são mortos após sequestro no Níger

Sequestro ocorreu em um bairro residencial do centro de Niamey.
Sequestro ocorreu em um bairro residencial do centro de Niamey. Creative Commons / diasUndKompott
Texto por: Silvano Mendes
2 min

Os dois cidadãos franceses, que estavam no país para um casamento, foram sequestrados por quatro homens armados na noite de sexta-feira. Segundo informações divulgadas na noite de sábado, os reféns teriam sido mortos durante uma troca de tiros.

Publicidade

Logo após o sequestro as forças de segurança nigerinas informaram as autoridades francesas e começaram a busca de indícios para localizar as reféns. De acordo com o porta voz do governo nigerino, Laouali Dan Dah, os sequestradores foram localizados na fronteira com o Mali, quando houve troca de tiros. Segundo informações divulgadas na noite de sábado os dois reféns teriam sido mortos durante o confronto. O ministro francês da Defesa, Alain Juppé, confirmou a morte dos dois homens.

O sequestro ocorreu em um restaurante no centro de Niamey, a capital do Níger. Um dos reféns iria se casar com uma jovem nigerina neste sábado e o outro era um dos convidados do casamento. De acordo com as testemunhas, os sequestradores, que estavam armados, falavam árabe e usavam turbantes. Mesmo se o ato não foi reivindicado, as autoridades da França e do Níger suspeitam da participação de redes terroristas no episódio.

Essa é a terceira vez que cidadãos franceses são sequestrados no país africano. No ano passado sete pessoas que trabalhavam para a empresa de energia nuclear francesa Areva foram vítimas de sequestros reivindicados por membros do grupo terrorista Al-Qaeda.

Além dos dois homens sequestrados nesta sexta-feira, cinco franceses continuam detidos por membros da filial Maghreb Islâmico do grupo terrorista Al-Qaeda desde setembro passado.
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.