Costa do Marfim / Angola

Alassane Ouattara envia emissários a Luanda

Tropas da ONUCI frente ao Hotel Golf onde está instalado AlassaneOuattara e o seu staf, 21/12/2010
Tropas da ONUCI frente ao Hotel Golf onde está instalado AlassaneOuattara e o seu staf, 21/12/2010 Photo ONU / Zoma Basile

Decretado o recolher obrigatório nos bairros de Abobo e Anyama em Abidjan - bastiões de Alassane Ouattara - onde nas duas útimas noites pelo menos 11 pessoas morreram e 3 capacetes azuis da ONUCI foram feridos.

Publicidade

O secretário geral da ONU Ban Ki Moon lançou novas advertências às forças leais ao presidente cessante Laurent Gbagbo, que ameaçam lançar nesta quinta-feira novas operações, contra bastiões de Alassane Ouattara, o presidente reconhecido pela quase totalidade da comunidade internacional .

Laurent Gbagbo, numa entrevista difundida ontem pelo canal televisivo francês Canal + afirmou que a Costa do Marfim "não está à beira de um mar de sangue, nem de uma guerra civil ou de um genocídio".

O presidente Alassane Ouattara (esta noite 13/01/2010 convidado de Canal +) em entrevista ao jornal francês "Le Parisien" promete formar um governo de coligação e insta Laurent Gbagbo a abandonar o poder rapidamente, acusando-o de utilizar mercenários e milicianos estrangeiros.

A França, antiga potência colonial, reconheceu o novo embaixador proposto por Alassane Ouattara : o antigo jornalista Ali Coulibaly.

É aguardado em Abdjan o mediador da União Africana e primeiro-ministro queniano Raila Odinga.

Angola e a crise na Costa do Marfim

Á semelhança do que sucedeu durante a guerra civil marfinense, entre 2002 e 2004, quando as autoridades de Luanda foram acusadas de apoiar militarmente Laurent Gbagbo - o que foi oficialmente negado - o canal televisivo francês TV5 Monde difundiu em finais do passado mês de dezembro uma reportagem sobre a costa do Marfim, na qual Guillaume Soro, primeiro ministro de Alassane Ouattara, denunciava a presença em Abidjan de mercenários vindos da Libéria e Angola, o que foi desmentido pelas autoridades angolanas, que consideraram difamatórias estas afirmações.

O movimento independentista FLEC/PM (Forças de Libertação do Estado de Cabinda / Posição Militar) alertou em comunicado, para o embarque no passado dia 14 de Dezembro no aeroporto de Cabinda, de dois batalhões da milícia especial do Presidente angolano com destino à Costa do Marfim.

De recordar que o embaixador angolano na Costa do Marfim, Gilberto Buta Lutucuta assistiu à tomada de posse do presidente cessante Laurent Gbagbo e poucos dias depois, este último enviou a Luanda Kadet Bertin, seu conselheiro para a Defesa e Segurança.

Na passada terça feira (11/01/2011) escalaram Luanda dois emissários de Alassane Ouattara : Jean Marie Kakou e Bakayoko Amed, que foram recebidos em audiência pelo vice-presidente angolano Fernando da Piedade Dias dos Santos "Nandó", que garantiu o apoio de Angola a uma solução pacífica para a crise marfinense e condenou o uso de armas, segundo refere o site "Apostolado" da igreja católica angolana.

 

 

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.