Moçambique em alerta devido às cheias

Wikipedia

Sete mil pessoas poderão ser afectadas pela ocorrência de cheias na bacia do Limpopo. O mesmo cenário de cheias poderá registar-se noutras bacias do centro e sul do país.

Publicidade

O alerta de cheias no Limpopo foi lançado ontem pelo Centro Nacional Operativo de Emergência (CNOE), após uma sessão extraordinária realizada no Domingo.

Do encontro, concluiu-se que as chuvas moderadas a fortes (variando entre 30 e 50 milímetros em 24 horas) que têm estado a cair no sul e centro, têm estado a contribuir para o aumento dos escoamentos nas principais bacias hidrográficas e seus afluentes.

Da análise feita, o CENOE concluiu que o rio Limpopo poderá atingir sete metros, contra os cinco que constituem o nível de alerta, durante os próximos dias.

Ainda segundo o Centro Operativo Nacional de Emergência, devido às chuvas fortes que se registam na Zâmbia, a montante do Rio Zambeze, a barragem de Kariba já não tem capacidade para encaixar as águas e vê-se obrigada a abrir as suas comportas.

Não se sabe ainda o volume de água a ser descarregada por aquela barragem vizinha.

Previsões meteorológicas para o período compreendido entre 14 a 20 do corrente mês, indicam a possibilidade de continuação da ocorrência de chuvas intensas no Zimbabwe e na parte sul da Zâmbia.

Prevê-se ainda chuva em regime moderado a forte na zona centro, concretamente nas províncias de Tete, Manica e interior de Sofala e Zambézia, bem como para o interior de Nampula e Niassa, no norte, e parte do alto Changane, em Gaza, no sul do país.

Segundo o CENOE, as bacias de Púnguè, em Sofala e Maputo, continuam em alerta e com tendência de subir, e há possibilidade de redução de níveis hidrométricos em Magude (bacia de Incomati).

As restantes bacias hidrográficas poderão registar variações dos níveis hidrométricos, com tendência para subir, contudo poderão manter-se abaixo de alerta.
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.