COSTA DO MARFIM

CEDEAO apela à ONU para que autorize utilização da força na Costa do Marfim

Tropas da ONU patrulham nas ruas de Abidjã a 13 de Janeiro de 2011
Tropas da ONU patrulham nas ruas de Abidjã a 13 de Janeiro de 2011 Reuters

A Nigéria apelou ao Conselho de Segurança da ONU para que autorize a utilização da força para desalojar Laurent Gbagbo, o presidente marfinense cessante, que continua a recusar deixar o poder.

Publicidade

A Nigéria preside actualmente a CEDEAO, a Comunidade económica dos Estados da África ocidental.

O ministro nigeriano dos negócios estrangeiros, Odein Ajumogobia, admitiu ter pedido ao Conselho de Segurança das Nações Unidas para que seja autorizada a utilização da força contra Laurent Gbagbo, e isto em último recurso.

De acordo com o chefe da diplomacia nigeriana é necessário que Gbagbo entenda que há uma perspectiva real para ele enfrente que uma força militar massiva.

Para Ajumogobia o mandato das tropas da ONU neste momento estacionadas na Costa do Marfim não estaria adaptado para se garantir a paz e a segurança no país.

Por seu lado Alassane Ouattara tenta asfixiar economicamente o seu rival Gbagbo. O presidente reconhecido pela ONU ordenou a suspensão por um mês das exportações de café e de cacau.

A Costa do Marfim é o primeiro produtor mundial de cacau. Poderão vir a ser adoptadas sanções nacionais e internacionais aos agentes económicos que não acatem a ordem.

Ouattara que recebeu de novo esta segunda-feira novo apoio do chefe de Estado francês.

Nicolas Sarkozy que falava em Paris à imprensa e aos embaixadores acreditados na capital francesa fez questão em cumprimentar Ali Coulibaly.

Este último foi designado por Ouattara como novo embaixador em Paris.

Para Sarkozy a França reconheceria um único governo legal, o de Ouattara, reconhecido também pelas Nações Unidas e por todas as organizações africanas.

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.