ANGOLA

Julgamento de William Tonnet em Angola gera incidente

Luanda, capital angolana
Luanda, capital angolana Erik Cleves Kristensen/Wikipédia

Retomou nesta quarta-feira o julgamento do director do semanário angolano "Folha 8", William Tonnet. Os jornalistas acabaram por deixar o recinto em Luanda devido ao juíz impedir que estes tomassem apontamentos.

Publicidade

Os jornalistas insurgem-se com esta situação já que o pretexto alegado pela justiça angolana para impedir que se estes tomassem notas em plena audiência se prendre com o estipulado num artigo do Código penal.

Esse texto em vigor é ainda do período colonial pelo que os jornalistas pedem a sua revisão com urgência.

William Tonnet está a ser julgado por injúria ao ex-Chefe de Estado-Maior General das Forças Armadas, Francisco Pereira Furtado, ao Procurador da Procuradoria Militar, Hélder Pitagroz,  e ao chefe da Casa Militar da Presidência da República, Manuel Vieira Dias Kopelipa.

O julgamento fora interrompido no início da semana por a defesa ter requerido a presença no tribunal dos generais queixosos.

Siona Casimiro, jornalista angolano, presidente do conselho de ética e deontologia do Sindicato do sector, contou a Liliana Henriques este incidente e refere-se também à questão da revisão do código penal.

Siona Casimiro

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.