Tunísia

Tunísia dá início ao julgamento de Ben Ali

O ex-presidente Ben Ali acompanhado pela sua esposa, Leila Trabelsi. 11/10/09.
O ex-presidente Ben Ali acompanhado pela sua esposa, Leila Trabelsi. 11/10/09. AFP/FETHI BELAID

Começou em Tunes o julgamento à revelia de Ben Ali, o ex-presidente tunisino. O homem forte da Tunísia, que se encontra refugiado na Arábia Saudita, é alvo de 93 acusações. Factos que, no domingo, contestou firmemente.

Publicidade

O ex-presidente tunisino e a sua mulher, Leila Trabelsi, começaram a ser julgados à revelia, esta segunda-feira, na vara criminal do tribunal de primeira instância de Tunes. Zine El Abidine Ben Ali é alvo de mais de 90 acusações. Para já e numa primeira fase, o julgamento abrangerá parte das 93 acusações.

O ex-chefe de Estado, que governou a Tunísia durante 23 anos, e a sua esposa encontram-se refugiados na Arabia Saudita desde 14 de Fevereiro, depois de Ben Ali ter sido deposto por um movimento popular de contestação.

Apesar da ausência dos arguidos no julgamento, o povo tunisino já classificou o processo como "histórico" e acredita que, depois da formação de um novo Governo, a extradição de Ben Ali e de Leila Trabelsi pode ser uma realidade.

José Dias, português residente em Sousse, Tunísia

Sobre o facto de o antigo chefe de Estado não estar sentado no banco dos réus há várias leituras. Por um lado, este era um passo necessário, por outro, a ausência de Ben Ali pode não permitir o encerramento deste capítulo.

Em entrevista a Liliana Henriques, Diogo Noivo, especialista do Norte de África, do Instituto Português de Relações Internacionais e Segurança comenta esta ausência em tribunal do antigo homem forte da Tunísia.

Diogo Noivo, Investigador do Instituto Português de Relações Internacionais e Segurança

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.