Acessar o conteúdo principal
Guiné-Bissau

Presidente de transição da Guiné-Bissau na Costa de Marfim para Cimeira da CEDEAO

Serifo Nhamadjo, Presidente de transição da Guiné-Bissau
Serifo Nhamadjo, Presidente de transição da Guiné-Bissau Liliana Henriques / RFI
Texto por: RFI
6 min

Serifo Nhamadjo, Presidente de transição Guineense, deslocou-se esta quinta-feira para a Costa de Marfim onde decorre amanhã a Cimeira de Chefes de Estado da CEDEAO, Comunidade de Estados da África Ocidental. Durante esta conferência, os participantes deverão debruçar-se sobre a crise do Mali e igualmente analisar a situação da Guiné-Bissau.

Publicidade

Antes de viajar, o Presidente de transição declarou à imprensa que pretende agradecer o apoio dado ao seu país pela CEDEAO, mas igualmente esboçar um balanço dos acontecimentos na Guiné-Bissau desde o golpe de Estado de 12 de Abril de 2012.

Ao tecer um alerta sobre a necessidade de se levantarem as sanções internacionais que pesam sobre o seu país, Serifo Nhamadjo referiu, por outro lado, que a Guiné-Bissau vai continuar a precisar do apoio prestado pela CEDEAO durante a vigência do período de transição e durante os preparativos das eleições gerais previstas para o ano que vem.

Serifo Nhamadjo, Presidente de transição da Guiné-Bissau

Ainda antes de partir rumo à Costa de Marfim, o Presidente de transição não deixou de sublinhar a importância do factor económico para a normalização da situação no país e, ao fazer o balanço da acção do seu executivo, realçou nomeadamente o pagamento de alguns salários em atraso bem como a retoma das aulas na Guiné-Bissau.

Serifo Nhamadjo, Presidente de transição da Guiné-Bissau

Com a colaboração de Mussá Baldé, Correspondente da RFI em Bissau

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.