Acessar o conteúdo principal
Africa do Sul

Arrancou na África do Sul o Congresso Nacional Africano

Jacob Zuma é favorito à sua própria sucessão
Jacob Zuma é favorito à sua própria sucessão REUTERS/Mike Hutchings
Texto por: João Matos | RFI
6 min

O Congresso Nacional Africano, partido no poder, reúne-se entre hoje e quinta-feira. Os 4500 delegados devem eleger os 6 dirigentes que vão conduzir os destinos do partido nos próximos 5 anos.  

Publicidade

A violência prevalecente na sociedade sul-africana, a desunião e indisciplina partidárias dominaram o discurso do presidente Jacob Zuma na sessão de abertura da 53ª conferência nacional eleitoral do Congresso Nacional Africano (ANC), na cidade de Mangaung.

Os 4.500 delegados presentes, em representação de todas as estruturas provinciais do mais antigo movimento de libertação africano irão eleger os 6 dirigentes de topo do ANC que conduzirão os destinos do partido nos próximos 5 anos. Dada a hegemonia do ANC no parlamento sul-africano, é  muito provável que o presidente do partido a ser eleito nesta 53ª conferência venha a ser o próximo Presidente da República sul-africana entre 2014 e 2019.

André Thomashausen, professor de direito internacional da Universidade da África do Sul, analisou as questões que vão dominar a ordem de trabalhos deste congresso.

 

André Thomashausen, professor de direito internacional da Universidade da África do Sul

André Thomashausen reagiu ainda às notícias que especulam sobre a possível morte de Nelson Mandela

André Thomashausen, professor de direito internacional da Universidade da África do Sul.

Com a colaboração do jornalista João Matos

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.