Acessar o conteúdo principal
Guiné Bissau

PAIGC e PRS bloqueiam formação do governo em Bissau

Foto de Miguel Martins
Foto de Miguel Martins DR
Texto por: RFI
2 min

Apesar de existir luz verde do Presidente e do Primeiro ministro da Guiné Bissau, continua adiada a formação do governo inclusivo, em Bissau, devido a bloqueio do PAIGC e do PRS, os dois principais partidos.

Publicidade

Quando tudo apontava para a formação do novo governo de inclusão na Guiné Bissau, segundo os desígnios do Presidente guineense Serifo Nhamadjo, do seu Primeiro ministro, Rui Duarte de Barros e da comunidade internacional, eis que uma vez mais, tudo fica adiado, devido a divergências dos dois principais partidos, o PAIGC e o PRS, sobre a partilha das pastas ministeriais.

 

O PAIGC, exige mais do que as quatro pastas ministeriais que lhe foram destinadas pelo Primeiro ministro, Rui Duarte de Barros, o mesmo acontecendo com o PRS  que não ficou satisfeito com as apenas três pastas, sem dizer que as duas principais formações políticas guineenses não estão igualmente satisfeitas com os intitulados dos ministérios a que tiveram direito, segundo as escolhas do Presidente e do Primeiro ministro desse governo de inclusão.

 

De Bissau, o nosso correspondente, Mussá Baldé.

 

Mussá Baldé, correspondente em Bissau

 

No seio dos pequenos partidos guineenses, como o Partido da Unidade Nacional, a incompreensão é total, com o Presidente dessa formação, Idrissa Djaló, a denunciar os egoísmos dos dirigentes do PAIGC e do PRS, que não estão interessados na defesa dos interesses dos guineenses e do país.

 

Idrissa Djaló, Presidente do Partido da Unidade Nacional

 

Siga-nos no Facebook, Orkut, Google+ e Twitter.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.