Guiné Bissau

ONU e CEDEAO ameaçam a Guiné Bissau com sanções em caso de mais violações dos direitos humanos

General António a 7 de novembre 2012, em Bissau.
General António a 7 de novembre 2012, em Bissau. REUTERS/Joe Penney/Files

A ONU e a CEDEAO, advertiram esta sexta feira, 16 de outubro, em Bissau, as autoridades guineenses sobre a eventualidade de sanções se continuar a haver abuso do poder e violações dos direitos humanos naquele país. 

Publicidade

Paralelamente a uma reunião de chefes militares de países da CEDEAO, nomeadamente, Senegal, Burkina Faso, Costa do Marfim e Nigéria, os representantes do secretário geral da ONU, em Bissau, Ramos Horta, e da CEDEAO, Usmane Cézay, fizeram saber, em carta dirigida ao presidente interino guineense, que quer os militares quer os políticos guineenses incorrem em sanções das duas organizações, caso venham a cometer novos abusos do poder e violações dos direitos humanos na Guiné Bissau.

 

No entanto, a Liga guineense dos direitos humanos, mostra-se céptica, com o seu vice-presidente, Augusto Mário Silva, a dizer ser "improvável que o conselho de segurança da ONU venha a adopar tais medidas contra os infractores guineenses".

 

Convém dizer, que a Liga guineense dos direitos humanos, tem intenções de apresentar uma queixa junto do Tribunal de Justiça da CEDEAO contra a Guiné Bissau por actos de violação dos direitos humanos contra cidadãos guineenses. 

 

Po outro lado, de notar que os chefes militares da CEDEAO, presentes nesse encontro de Bissau, visitaram os quartéis degradados que prometem reconstruir.

 

De Bissau, o nosso correspondente, Mussá Baldé.

 

Mussá Baldé, correspondente em Bissau

 

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.