GUINÉ-BISSAU

Três mortos em instrução militar na Guiné-Bissau

Estado Maior das Forças Armadas da Guiné-Bissau
Estado Maior das Forças Armadas da Guiné-Bissau Liliana Henriques / RFI

Subiu para três o número de mortos no Centro de instrução miitar de Cumeré, referiu a Liga guineense dos direitos humanos. Um capitão acabou por falecer ontem na sequência do espancamento de que teria sido vítima. A Liga pede a abertura de uma investigação sobre os casos.

Publicidade

A Liga pede também indemnizações para as famílias dos três defuntos, o útimo dentre eles tendo vindo a falecer ontem na sequência de alegados maus tratos que sofrera.

Já anteriormente terão falecido dois membros da Guarda nacional.

Até ao momento nenhum inquérito terá sido aberto e não houve nenhum pronunciamento nem da hierarquia militar nem do ministério da defesa.

O presidente de transição, Serifo Nhamadjo, terá, por seu lado, referido que mortes durante uma formação militar podiam ter ocorrido noutros país.

Augusto Mário da Silva, um dos vice-presidentes da Liga guineense de direitos humanos relata o ocorrido.

Augusto Mário da Silva

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.