Acessar o conteúdo principal
Guiné-Bissau

Primeiro-ministro deposto da Guiné-Bissau pede apoio do PAIGC para a presidência

Vozes na sociedade civil consideram que em vez de instalar um governo inclusivo é preciso reconciliar a família do PAIGC
Vozes na sociedade civil consideram que em vez de instalar um governo inclusivo é preciso reconciliar a família do PAIGC Liliana Henriques / RFI
Texto por: RFI
1 min

Carlos Gomes Júnior, primeiro-ministro deposto aquando do golpe de Estado de Abril de 2012, formalizou um pedido de apoio do PAIGC, Partido Africano da Independência da Guiné e Cabo Verde, para a sua candidatura às eleições presidenciais de 13 de Abril, nove outros militantes do partido tendo igualmente pedido este mesmo apoio para as suas respectivas candidaturas.

Publicidade

Estas pré-candidaturas devem ser analisadas pelo Conselho Nacional de Jurisdição do PAIGC que, por sua vez, deverá enviar para a direcção do partido os candidatos que considerar elegíveis para serem submetidos ao voto dos membros do Comité Central cuja reunião está agendada para os dias 1 e 2 de Março

Estes pedidos de apoio surgem no momento em que o PAIGC conhece alguma agitação a nível interno, com 12 militantes do partido a intentarem uma acção judicial contra a nova direcção do PAIGC que acusam de ter afastado as suas candidaturas ao Comité Central.

Mais explicações com Mussa Baldé.

Mussa Baldé, correspondente da RFI em Bissau

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.