Acessar o conteúdo principal
Guiné-Bissau

Giné-Bissau : tenente general Biaguê Na N'tan é o novo CEMGFA

Biaguê Na N'tan, Chefe de Estado Maior General das Forças Armadas da Guiné-Bissau.
Biaguê Na N'tan, Chefe de Estado Maior General das Forças Armadas da Guiné-Bissau. PNN
Texto por: RFI
3 min

Biaguê Na N'tan, foi hoje investido como novo Chefe de Estado Maior General das Forças Armadas da Guiné-Bissau, em cerimónia presidida pelo Chefe de Estado José Mário Vaz e prometeu submeter-se ao poder político.

Publicidade

Nascido há 64 anos em Finete, no leste da Guiné-Bissau, Biaguê Na N'tan que é da etnia balanta, participou na luta armada contra o regime colonial português, e antes de tomar posse foi graduado de general de duas estrelas para três, passando de brigadeiro general, para tenente general.

Até à sua indigitação e desde 17 de Julho deste ano, o novo Chefe de Estado Maior General das Forças Armadas, era Chefe da Casa Militar da Presidência da República, depois de ter sido Vice-chefe do Estado Maior do Exército, e Comandante-geral da extinta Força da Guarda Fiscal, um serviço afecto à Direcção-geral das Alfândegas, quando o Presidente José Mário Vaz, era Ministro das Finanças, isto no governo de Carlos Gomes Júnior, deposto pelo golpe de estado militar de Abril 2012, liderado pelo general António Indjai, exonerado por decreto presidencial esta segunda-feira (15/09).

Biaguê Na N'tan foi empossado esta quarta-feira (17/09) pelo Presidente José Mário Vaz, que lhe pediu para dotar o país de Forças Armadas republicanas, numa cerimónia à qual assistiram os seus mais próximos colaboradores, entre os quais o general Daba Na Walna, bem como quase todos os embaixadores acreditados no país, e chefes de organizações internacionais, tendo todos manifestado disponibilidade para cooperar com o novo chefe militar, para a implementação da reforma do sector de defesa e segurança na Guiné-Bissau.

Biaguê Na N'tan prometeu pôr termo à turbulência militar afirmando "vivemos um período muito conturbado, mas acho que esse período já acabou" e definiu três prioridades: "1° respeitar a Constituição, as leis e o poder político democraticamente eleito, 2° organizar as Forças Armadas, 3° apostar na formação de jovens para que amanhã possam substituir-nos".

General Baguiê Na N'tan

 Em colaboração com o nosso correspondente em Bissau, Mussa Baldé.

 

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.