Angola

Angola regressa ao Conselho de Segurança da ONU

Georges Chicoty, Ministro das Relações Exteriores de Angola
Georges Chicoty, Ministro das Relações Exteriores de Angola Liliana Henriques/RFI

Esta tarde na sede da ONU em Nova Iorque, Angola foi eleita sem surpresas como membro não permanente do Conselho de Segurança da ONU, juntamente com a Venezuela, a Malásia, a Nova Zelândia e a Espanha, Luanda tendo obtido190 votos num total de 193 países membros.

Publicidade

O Conselho de Segurança que contabiliza 15 membros, dos quais 5 permanentes, renova todos os anos metade dos 10 assentos não permanentes, cada região do mundo sendo representada por um país. Angola, cuja candidatura tinha o apoio da União Africana e era o único país do continente a concorrer para suceder ao Ruanda ainda membro do Conselho de Segurança até ao final deste ano, vai iniciar o seu respectivo mandato de 2 anos não renováveis no dia 1 de Janeiro de 2015.

Ao cabo de uma campanha internacional de vários meses, Angola regressa assim ao conselho de Segurança, 12 anos depois da sua primeira eleição neste órgão em 2002, esta nova eleição sendo uma vitória da diplomacia angolana do ponto de vista do ministro angolano das Relações Exteriores. Ao enunciar as prioridades do seu país no seio do Conselho de Segurança da ONU, Georges Chicoty, que se deslocou especialmente a Nova Iorque para esta ocasião, considera que o número importante de votos recolhidos pelo seu país é uma prova de confiança por parte da comunidade internacional.

Georges Chicoty, Ministro das Relações Exteriores de Angola

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe todas as notícias internacionais baixando o aplicativo da RFI