MOÇAMBIQUE

Moçambique: Renamo denuncia manutenção de presos

Líder da Renamo, Afonso Dhlakama, ao votar em Maputo a 15 de Outubro nas eleições gerais moçambicanas
Líder da Renamo, Afonso Dhlakama, ao votar em Maputo a 15 de Outubro nas eleições gerais moçambicanas Cristiana Soares/RFI

A Renamo denunciou o facto de membros do maior partido da oposição se manterem detidos, não obstante a lei da amnistia contemplar a sua libertação. Uma posição expressa aquando de nova ronda negocial com o governo moçambicano implicando a despartidarização da função pública.

Publicidade

Esta ronda negocial ocorre menos de uma semana após as eleições gerais moçambicanas, ainda sem resultados oficiais definitivos.

Os resultados preliminares anunciados pelas autoridades apontam para uma vitória do candidato da Frelimo, com maioria absoluta, Filipe Nyusi, nas eleições presidenciais.

A Renamo que admitira aceitar os resultados na medida em que as eleições fossem justas já veio refutar os dados provisórios e estendeu, porém, a mão ao executivo, deixando pairar a ideia da formação de um governo de unidade nacional.

Orfeu LIsboa, correspondente em Maputo, tem mais informação.

Correspondência de Maputo

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe todas as notícias internacionais baixando o aplicativo da RFI