ANGOLA

Activistas presos há mais de uma semana foram libertados

Os cinco activistas detidos durante uma tentativa de protesto a 11 de Setembro, em Luanda, foram libertados ontem. O Movimento dos Jovens Revolucionários de Angola diz que não vai abandonar a luta contra as alterações à lei da nacionalidade. 

Publicidade

Os activistas que tinham sido detidos há mais de uma semana, em Luanda, foram libertados ontem. Adolfo Campos, do Movimento dos Jovens Revolucionários de Angola, contou à RFI que os detidos foram agredidos na prisão e que estão a ser angariados fundos para que eles sejam tratados.

Adolfo Campos, activista do Movimento dos Jovens Revolucionários de Angola

Ontem, o movimento lançou o segundo ultimato em menos de uma semana para a libertação dos cinco activistas. Na antena da RFI, Adolfo Campos tinha alertado para a gravidade da situação, contando que um dos detidos estava doente e precisava de ser levado para o hospital.

Adolfo Campos, Movimento dos Jovens Revolucionários

Os cinco activistas tinham sido detidos aquando da tentativa de protesto contra as alterações à Lei da Nacionalidade, a 11 de Setembro, na capital angolana. A polícia tinha, então, bloqueado o acesso ao Largo da Independência, mas foram detidos seis activistas, um dos quais foi libertado dias depois mediante pagamento de uma caução de quase 50 mil Kwanzas, angariados pelo movimento. Elias Batama tinha sido condenado a 30 dias de prisão convertíveis na dita multa.

Desde 2011, o Movimento dos Jovens Revolucionários de Angola tem promovido diversas manifestações em Luanda contra o regime do presidente José Eduardo dos Santos. Os protestos envolvem, em geral, importantes dispositivos de segurança e confrontos com a polícia.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe todas as notícias internacionais baixando o aplicativo da RFI