Acessar o conteúdo principal
Moçambique

Dhlakama já tem quadros para províncias autónomas moçambicanas

Presidente moçambicano, Filipe Nyusi e líder da oposição, Afonso Dhlakama, em Moçambique
Presidente moçambicano, Filipe Nyusi e líder da oposição, Afonso Dhlakama, em Moçambique DR
Texto por: João Matos
4 min

Afonso Dhlakama, prossegue a sua campanha de esclarecimento, junto do seu eleitorado, onde ganhou, parcialmente, as eleições, explicando a sua tese, de governação, em províncias autónomas moçambicanas.

Publicidade

O  Presidente da Renamo, Afonso Dhlakama, decclarou, este sábado, 28 de fevereiro, à imprensa, já estar a fazer a selecção dos seus quadros qualificados, que quer colocar à frente das províncias autónomas, nas regiões, onde ganhou, as eleições de outubro, de 2014.

 

Uma questão, que ainda vai ser discutida na Assembleia da República, mas que a Frelimo e o Presidente, Nyusi, que venceram, essas eleições de outubro, já rejeitaram, dizendo, ser inconstitucional afigura administrativa de província autonóma, em Moçambique.

 

O líder da oposição, Dhlakama, tem uma leitura diferente da Constituição e diz estar bem avançado o seu trabalho de casa:

 

"Já estive em Nampula, portanto, numa espécie de seminário, com  docentes das Universidades, Directores de Hospitais, e outros, como engenheiros, economistas, e essas pessoas, estão, agora, a trabalhar, com um programa-piloto, para recrutar, mais intelectuais e académicos, porque não queremos governar mal."     

Afonso Dhlakama, prossegue o seu périplo, pelo norte de Moçambique, estando, agora, no Niassa, depois de ter estado na província de Cabo Delgado, com o objectivo, de  explicar às populações a filosofia político-administrativa de províncias autonómas, em Moçambique.


Com a colaboração do nosso correspondente, em Maputo, Orfeu Lisboa.

 

Orfeu Lisboa, correspondente em Maputo

 

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.