Republicano Colin Powell diz que Trump "é um perigo" e declara voto no democrata Joe Biden em novembro

O ex-secretário de Estado republicano Colin Powell.
O ex-secretário de Estado republicano Colin Powell. GETTY IMAGES NORTH AMERICA/AFP

O general da reserva Colin Powell, que serviu como principal oficial militar e diplomata dos Estados Unidos em presidências republicanas, disse neste domingo (7) que votará no democrata Joe Biden na eleição presidencial de novembro. Powell afirmou que Donald Trump não respeita a Constituição americana. "Temos uma Constituição. Temos que segui-la. E o presidente se afastou dela", disse Powell ao canal de notícias da CNN.

Publicidade

Em sua argumentação, Powell classificou Trump como "um perigo para a democracia", cujas "mentiras e insultos afetaram a imagem da América no mundo". O ex-presidente do Estado-Maior dos EUA é mais um na lista de oficiais aposentados de alta patente a criticar publicamente o tratamento de Trump aos massivos protestos antirracismo que agitam os Estados Unidos desde o assassinato do agente de segurança George Floyd, asfixiado por um policial branco no fim de maio, em Minneapolis.

Na semana passada, vários oficiais da reserva, geralmente relutantes em fazer declarações públicas, se manifestaram contra a ameaça de Trump de enviar militares para reprimir os protestos. O chefe do Pentágono também criticou a fala de Trump.

"Estamos em um ponto de virada", disse Powell, criticando os senadores republicanos por não enfrentarem Trump. "Ele mente sobre as coisas. E se safa porque as pessoas não o responsabilizam", disse ele.

Powell, que também atuou como secretário de Estado durante o governo de George W. Bush (2001-2009), ainda repreendeu Trump por ofender "quase todos no mundo". "Estamos contra a Otan. Estamos retirando mais tropas da Alemanha. Eliminamos nossas contribuições para a Organização Mundial da Saúde. Não estamos felizes com as Nações Unidas", afirmou.

Com a proximidade das eleições presidenciais de novembro, Powell fez um anúncio contundente. Ele disse que não votará em Trump e apoiará o democrata Joe Biden na corrida à Casa Branca. Em 2016, Powell também não votou no magnata do setor imobiliário.

"Sou muito alinhado a Joe Biden nas questões sociais e políticas. Trabalhei com ele por 35, 40 anos. E agora ele é o candidato e vou votar nele", afirmou Powell.

Com informações da AFP

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.