Acessar o conteúdo principal

Chefe de bombeiros latinos dos EUA admite impossibilidade de controlar incêndios

Os incêndios florestais gigantescos na costa oeste americana já destruíram cinco localidades no estado do Oregon.
Os incêndios florestais gigantescos na costa oeste americana já destruíram cinco localidades no estado do Oregon. AP - Noah Berger
Texto por: RFI
3 min

Os gigantescos incêndios que atingem há várias semanas a costa oeste dos Estados Unidos são cada vez mais assustadores e incontroláveis. As brigadas de bombeiros veem a lista de cidades destruídas pelas chamas aumentar a cada dia, como aconteceu com a pequena Detroit, no condado de Marion, no Oregon. A situação neste estado é particularmente dramática: meio milhão de pessoas foram evacuadas, o que representa mais de 10% dos habitantes e "esse número continua crescendo", de acordo com um comunicado das autoridades estaduais.

Publicidade

Loic Pialat, correspondente da RFI na costa oeste dos EUA

Em três dias, o fogo consumiu mais de 3.600 quilômetros quadrados no Oregon, muito além do que os incêndios destroem em média durante um ano inteiro na região. As temperaturas elevadas e ventos intensos e secos ajudam a propagar as chamas. “Nunca vimos tantos incêndios florestais em nosso estado”, disse a governadora democrata Kate Brown. Cinco localidades já foram destruídas, segundo ela, e não se trata de um evento isolado. "Sentimos o impacto do aquecimento global", declarou a governadora.

Em Portland, a maior cidade do Oregon, os moradores dos subúrbios tiveram que deixar suas casas. Testemunhas afirmam que a poluição do ar no município é pior do que em Jacarta, na Indonésia, ou em Nova Délhi, na Índia.

Nas últimas 24 horas, 15 mortes foram confirmadas na Califórnia, no Oregon e no estado de Washington, onde um bebê está entre as vítimas.

"Oitenta e cinco incêndios ainda estão ativos, a maioria deles na costa do Pacífico", confirmou o chefe dos bombeiros latino-americanos, Joseph Troncoso. “Temos um pouco mais de dois milhões de hectares incendiados. Por exemplo, na Califórnia, quase 4.000 casas e estabelecimentos foram destruídos. No Oregon, perdemos uma cidade inteira, Detroit. É muito sério o que está acontecendo. Com tantos incêndios ativos ao mesmo tempo, você simplesmente não tem os recursos habituais para apagar todos os focos”, declarou, alarmado, Troncoso.

“Trabalhamos dia e noite. Os soldados nos apoiam, mandam equipamentos, aviões, helicópteros. Os bombeiros canadenses também estão nos apoiando. Somos 26.802 bombeiros designados para conter esses incêndios”, explica.

Piromaníaco

No noroeste da Califórnia, o incêndio apelidado de "Fogo Complexo de Agosto", um grupo de 37 focos ativos, se tornou oficialmente o maior da história do estado, abrangendo 190 mil hectares.

A polícia suspeita de um incendiário em pelo menos um caso, um foco que começou na pequena cidade de Ashland ("terra das cinzas", em português) na última terça-feira (8). Este incêndio já destruiu centenas de casas nas comunidades vizinhas de Phoenix e Talent. No entanto, as autoridades negaram rumores de incêndios iniciados por "antifascistas" ou por milícias nacionalistas. Esses rumores refletem as tensões em um país onde a atmosfera social, a poucas semanas da eleição presidencial de 3 de novembro, é ardente.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.