Acessar o conteúdo principal

Corrida pela vacina contra Covid-19 vira argumento de campanha eleitoral nos EUA

Trump promete vacina antes do final do ano. Biden concorda com a urgência, mas exige "transparência total" do ponto de vista científico.
Trump promete vacina antes do final do ano. Biden concorda com a urgência, mas exige "transparência total" do ponto de vista científico. REUTERS - DIEGO VARA
Texto por: RFI
3 min

O candidato democrata à Casa Branca, Joe Biden, faz um discurso nesta quarta-feira (16) em Wilmington, seu bastião na Carolina do Norte. O tema da vacina contra a Covid-19, até então monopolizado pelo republicano Donald Trump, está no centro do debate.

Publicidade

O presidente Donald Trump, que vem perdendo espaço segundo as pesquisas de intenção de voto, está apostando todas as suas fichas na possibilidade de seu governo acelerar a produção de uma vacina segura. Com a Covid-19 devastando a economia dos Estados Unidos e levando milhões de famílias a uma crise financeira, a campanha do republicano tem repetidamente anunciado uma possível vacina rápida como salvação.

Mas Biden, que acusa o atual chefe da Casa Branca de mentir para a população, decidiu investir no tema. Após ter consultado especialistas da saúde, o democrata enfatizou que apoia o lançamento rápido de uma vacina. Porém, ele disse que o projeto contará com sua aprovação apenas se for seguro e eficaz e se houver "transparência total" do ponto de vista científico.

Biden, que lentamente tem aumentado suas aparições públicas, incluindo uma viagem à Flórida na terça-feira (15), ainda não conseguiu igualar o fervor que o presidente desperta em seus comícios. Incluir a luta contra a Covid-19 em sua campanha é visto como uma tentativa de inverter essa situação.

Trump promete vacina em “algumas semanas”

Trump insiste que uma vacina estará disponível em "algumas semanas", mas um especialista do governo alertou na quarta-feira que uma vacina para uso em massa estará disponível, no mínimo, em meados de 2021. Porém, em um fórum na terça-feira, o chefe da Casa Branca insistiu em suas próprias previsões otimistas, dizendo que pode haver uma vacina disponível antes mesmo da eleição, que acontece em 3 de outubro.

"Estamos a apenas algumas semanas de conseguir, vocês sabem, pode levar três ou quatro semanas", disse ele em uma sessão de perguntas e respostas com eleitores na Pensilvânia, transmitida pela ABC News. Poucas horas antes, falando à Fox News, Trump disse que uma vacina poderia chegar em "quatro semanas, pode ser oito semanas".

Os democratas expressaram preocupação com o fato de Trump estar pressionando os reguladores de saúde do governo e cientistas a aprovarem uma vacina a tempo de ajudá-lo a subir nas pesquisas.

O diretor dos Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC), Robert Redfield, disse ao Congresso que uma vacina não estará amplamente disponível este ano. "Acho que haverá uma vacina que estará inicialmente disponível entre novembro e dezembro, mas em um fornecimento limitado e deve ser priorizada", acrescentou Redfield perante um comitê do Senado.

(Com informações da AFP)

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.