Acessar o conteúdo principal

Modelo que acusa Donald Trump de agressão sexual diz que quer dar exemplo para as filhas

Ex-modelo Amy Dorris acusa Trump de abuso sexual; republicano nega.
Ex-modelo Amy Dorris acusa Trump de abuso sexual; republicano nega. © Captura de tela
Texto por: RFI
3 min

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, é alvo de uma nova acusação de agressão sexual. Em uma entrevista publicada pelo jornal britânico The Guardian, nesta quinta-feira (17), a ex-modelo americana Amy Dorris, 47 anos, afirma que o magnata do setor imobiliário a agrediu sexualmente em setembro de 1997, em Nova York, à margem do torneio de tênis US Open. Advogados de Trump negam e argumentam que as acusações têm motivação política.

Publicidade

Os fatos ocorreram em 5 de setembro de 1997, segundo o relato da ex-modelo ao Guardian. Naquele dia, o companheiro de Amy Dorris, Jason Binn, a levou ao escritório de Donald Trump em Manhattan. Em seguida, os três foram para o local do torneio. A jovem, que na época morava na Flórida, afirma que a agressão aconteceu do lado de fora dos banheiros do estádio, não muito longe do camarote VIP onde os convidados de Trump assistiam às partidas.

"Ele enfiou a língua na minha boca e eu o empurrei. Mas ele me agarrou e começou a passar as mãos nas minhas nádegas, nos meus seios, nas minhas costas, em tudo. Eu fiquei presa, não conseguia me desvencilhar", contou a ex-modelo ao diário britânico. Ela tinha 24 anos na época e afirma ter pedido para Trump parar de tocá-la, em vão. "Ele não se incomodou", descreve Amy Dorris. "Fiquei chocada, me senti estuprada." O magnata, que tinha então 51 anos, continuou a assediá-la durante sua estadia em Nova York, denuncia a ex-modelo.

O presidente americano, por meio de seus advogados, nega veementemente ter assediado ou agredido Amy Dorris. Os advogados de Trump alegam que qualquer agressão do lado de fora dos banheiros do estádio onde ocorria o US Open teria sido vista por muitas testemunhas.

O jornal britânico quis saber por que a ex-modelo decidiu falar sobre esse episódio neste momento, a menos de sete semanas da eleição de 3 de novembro. Amy Dorris explica que já havia pensado em denunciar o caso durante a campanha presidencial de 2016. Mas desistiu da ideia, com receio das consequências que as revelações teriam para sua família. Naquela época, mais de dez mulheres acusaram o candidato republicano de assédio e violência sexual. Entre elas, a mais enfática é a jornalista E. Jean Carroll, que acusa Trump de estupro na década de 1990.

"Minhas filhas vão fazer 13 anos. Quero que saibam que ninguém tem permissão para fazer nada conosco sem nosso consentimento", afirma Amy Dorris. "Quero que vejam que não me calei, que decidi enfrentar alguém que cometeu um ato inaceitável", explica a ex-modelo, na entrevista ao Guardian.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.