Acessar o conteúdo principal

EUA : Mais de 50 milhões já votaram por antecipação na eleição presidencial

Uma eleitora americana deposita seu voto na urna. Em 19 de outubro de 2020, em Washington.
Uma eleitora americana deposita seu voto na urna. Em 19 de outubro de 2020, em Washington. Photo AP / Elaine Thompson
Texto por: RFI
4 min

Mais de 50 milhões de norte-americanos já votaram na eleição presidencial do dia 3 de novembro entre os candidatos Joe Biden e Donald Trump, de acordo com a contagem do US Elections Project desta sexta-feira (23).

Publicidade

A votação antecipada está quebrando recordes este ano, com muitos eleitores preferindo colocar cedo seu voto dentro das urnas para evitar multidões no dia da eleição, em meio à pandemia do novo coronavírus. De acordo com a contagem estabelecida pela Universidade da Flórida, mais de 35 milhões de pessoas já votaram pelo correio, e mais de 15 milhões pessoalmente.

Donald Trump vota também com antecedência neste sábado, na Flórida; seu vice-presidente, Mike Pence, já o fez em Indianápolis, nesta sexta-feira.

De acordo com sua equipe, o democrata Joe Biden deve fazer um pronunciamento nesta sexta-feira de sua cidade natal de Wilmington, no estado de Delaware, sobre seu plano para "derrotar a Covid-19 e colocar a economia de volta nos trilhos".

Cortejando o voto dos idosos na Flórida

Onze dias antes da eleição presidencial, Donald Trump continua sua corrida frenética por eleitores, realizando dois eventos de campanha no importante estado da Flórida, nesta sexta-feira, um dia após seu segundo e último debate com o rival democrata Joe Biden.

Este cara a cara televisionado ao vivo, organizado em Nashville, Tennessee, foi mais civilizado e construtivo do que o anterior, marcado por constantes interrupções e insultos. Mas isso não deve mudar a dinâmica drasticamente.

Para recuperar o atraso nas pesquisas, o presidente republicano foi para o "Sunshine State" durante o dia. A  Flórida  é um desses estados-chave com probabilidade de virar o jogo para um ou outro candidato, oferecendo a ambos o excedente de eleitores necessários para obter acesso à Casa Branca. Resta saber em quem os eleitores votarão em 3 de novembro.

Trump, que está perdendo terreno entre os idosos, já intensificou a campanha na Flórida nos últimos 10 dias, conhecida por abrigar a maior proporção de aposentados do país (mais de 20%). Além de Pensacola, o bilionário vai cortejar o The Villages, de 100.000 habitantes, a maior comunidade de aposentados da Flórida, um reduto trumpista que, no entanto, ganhou as manchetes após ser palco de fortes tensões entre eleitores pró e anti-Trump.

Embora os norte-americanos idosos votem fortemente nos republicanos, eles também estão na categoria das pessoas mais vulneráveis ​​ao coronavírus, e Trump é amplamente criticado pela maneira como lidou com a crise sanitária, que já ceifou mais de 223.000 vidas nos Estados Unidos.

Essas duas questões estavam no centro do debate entre os dois septuagenários na frente de milhões de telespectadores. "Alguém que é responsável por tantas mortes não deveria poder permanecer presidente dos Estados Unidos da América", disse o candidato democrata, prevendo "um inverno sombrio" para o país mais enlutado do mundo pela pandemia.

No sábado (24), o presidente ainda tem uma maratona de reuniões programadas nos estados da Carolina do Norte, Ohio e Wisconsin. Domingo (25), ele se dirige a New Hampshire.

 

 

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.