Acessar o conteúdo principal

Trump vota na Flórida e volta a dizer que envio de cédula pelo correio não é "tão seguro"

Donald Trump retira sua máscara para falar com a imprensa, depois de votar antecipadamente para a eleição presidencial de 3 de novembro, na biblioteca pública do condado de Palm Beach, na Flórida.
Donald Trump retira sua máscara para falar com a imprensa, depois de votar antecipadamente para a eleição presidencial de 3 de novembro, na biblioteca pública do condado de Palm Beach, na Flórida. AFP
Texto por: RFI
3 min

O presidente americano, Donald Trump, votou antecipadamente neste sábado (24) para as eleições de 3 de novembro. O republicano depositou o seu voto em uma seção eleitoral de West Palm Beach, na Flórida, no início de mais um dia de campanha que o levará a três estados americanos.

Publicidade

A dez dias da data oficial de votação nos Estados Unidos, Trump compareceu a uma biblioteca pública do condado de Palm Beach, habilitada para receber seu voto depois que ele transferiu sua residência oficial de Nova York para Mar e Lago, na Flórida. "Votei em um cara chamado Trump", disse sorridente ao sair.

Quase 54,2 milhões de americanos já emitiram seu voto antecipado, em uma eleição afetada pela pandemia de coronavírus mas que pode revelar uma participação surpreendente.

Ao votar, Trump usou uma máscara, algo que raramente costuma fazer. O republicano, que busca a reeleição, continua minimizando a gravidade da crise sanitária, que já matou mais de 293 mil americanos. Depois de contrair o vírus e se curar, ele passou a menosprezar ainda mais os riscos da infecção viral.

Nesta sexta-feira (23), Trump disse que a epidemia iria "acabar logo" nos Estados Unidos. Mas o número de casos positivos bateu um recorde ontem, segundo a contagem da agência Reuters, com mais 84 mil pessoas contagiadas em 24 horas.

"Foi uma votação muito segura. Muito mais segura do que enviar correspondência, posso te dizer isso", afirmou Trump, que insiste, sem evidências, que a votação pelo correio conduz à fraude.

"Tudo foi perfeito, muito estrito, de acordo com as regras. Quando você envia sua correspondência, nunca será tão seguro quanto isso", acrescentou o presidente, que faz um grande esforço de última hora para alcançar Biden na reta final da disputa eleitoral.

Neste sábado, a agenda do republicano inclui atos de campanha na Carolina do Norte, em Ohio e no Wisconsin, todos estados-chave para chegar à Casa Branca.

"Vocês estarão muito ocupados hoje, porque vamos trabalhar duro", disse Trump aos jornalistas que o acompanham na cobertura da campanha.

O democrata Joe Biden, por sua vez, continua em campanha com sua esposa na Pensilvânia. A equipe de Biden divulgou que ele fez um novo teste, com resultado negativo para o coronavírus neste sábado.

O ex-presidente Barack Obama está na Flórida, em campanha para apoiar a chapa de Biden e da vice Kamala Harris.

De acordo com o site RealClearPolitics, que publica resultados de sondagens, Biden segue liderando a corrida presidencial com 8.1 pontos percentuais de vantagem sobre Trump, na média das pesquisas nacionais.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.