Acessar o conteúdo principal

Em entrevista à TV francesa sobre livro de memórias, Obama diz que eleição de Biden é novo começo para EUA

O primeiro volume do livro de memórias de Barack Obama cobre a trajetória política de democrata desde sua juventude até o final de seu primeiro mandato na Casa Branca.
O primeiro volume do livro de memórias de Barack Obama cobre a trajetória política de democrata desde sua juventude até o final de seu primeiro mandato na Casa Branca. © Fotomontagem RFI
Texto por: RFI
3 min

O ex-presidente dos Estados Unidos Barack Obama concedeu uma entrevista exclusiva de meia hora à televisão pública francesa, por ocasião do lançamento mundial do primeiro volume de suas memórias, "Uma Terra Prometida", também lançado nesta terça-feira (17) no Brasil pela editora Companhia das Letras.

Publicidade

Obama foi entrevistado em Washington por François Busnel, célebre jornalista do canal France 5 que apresenta um programa semanal sobre literatura (La Grande Librairie – A Grande Livraria, em português). O diálogo completo irá ao ar na noite desta terça, mas alguns trechos foram exibidos antecipadamente pelo canal 2 da TV pública.

Na entrevista, Obama expressa sua esperança após a vitória de Joe Biden contra Donald Trump. "Acredito que os resultados desta eleição são um novo começo", disse o democrata. Ele diz que os americanos já estavam divididos antes da chegada do magnata republicano à Casa Branca, portanto durante seu mandato, mas considera que Trump agravou a polarização.

Relação com Sarkozy

Neste trecho da entrevista, Obama recorda encontros com líderes europeus e evoca sua relação com o ex-colega francês Nicolas Sarkozy. Ele fala de Sarkozy, envolvido atualmente em vários processos judiciais, como um "parceiro importante", que "falava sem parar e não parava quieto", um presidente que se movimentava continuamente.

Obama critica Bolsonaro e elogia Lula e Dilma

Na entrevista concedida na noite de segunda-feira ao programa de Pedro Bial, na TV Globo, Obama foi questionado sobre o atual presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, que ainda não reconheceu a vitória de Biden e ainda fez ameaças ao democrata por suas críticas aos incêndios na Amazônia.

Obama disse que preferia não dar opinião sobre alguém que não conhecia, mas, pelo que viu até agora, afirmou: "As políticas de Bolsonaro, assim como as de Donald Trump, minimizaram as mudanças climáticas". Obama destacou que o Brasil é um país central na questão do controle das temperaturas, capaz de evitar uma catástrofe global. "Tive sorte com o presidente Lula e com Dilma Rousseff de ter os dois trabalhando cooperativamente com a gente nisso", acrescentou.

Com 764 páginas na edição em português, o livro cobre a carreira política de Obama até o assassinato do ex-líder da Al Qaeda Osama bin Laden, em 2011. O ex-presidente americano conta episódios de sua juventude, quando ainda buscava sua identidade, até se tornar líder da maior democracia do mundo.

O primeiro volume revela detalhes surpreendentes dessa trajetória, descreve sua formação política e os momentos marcantes do primeiro mandato de sua presidência histórica, marcada por turbulências. Brilhante orador, Obama deve cativar o leitor ao compartilhar sua experiência política e o que aprendeu sendo o primeiro presidente negro da história dos EUA.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.