Posse de Biden gera alívio, esperança e preocupação, diz jornal francês

A posse do Joe Biden é capa dos jornais franceses desta quarta-feira 20 de janeiro de 2021
A posse do Joe Biden é capa dos jornais franceses desta quarta-feira 20 de janeiro de 2021 © Fotomontagem RFI/Adriana de Freitas
Texto por: RFI
4 min

Os grandes desafios do presidente democrata Joe Biden, que toma posse nessa quarta-feira (20), entre eles o combate à pandemia, a crise econômica e a fratura deixada pelo governo de Donald Trump, foram amplamente ressaltados por vários jornais franceses.

Publicidade

“Let’s Joe”, uma alusão à expressão em inglês Let’s Go, (Vamos, em tradução livre) foi o título escolhido pelo jornal Libération para indicar o novo capítulo na histórica dos Estados Unidos.  O 46° presidente americano vai herdar um país fraturado, doente da Covid-19 e com uma economia destruída, escreve o diário francês.

Em editorial, Libération lista três sentimentos que predominam neste dia de posse do democrata. Alívio, ponta de esperança e preocupação. Alívio pela partida de Donald Trump do poder, que deixa para trás uma gestão catastrófica da crise sanitária, golpes contra o multilateralismo e à diplomacia mundial, além do espaço que gerou para a proliferação de fake news e teorias complotistas.

A ponta de esperança é por ver um democrata, ou seja, a esquerda americana, assumir a Casa Branca. Mas a ressalva feita por Libé é que Biden não representa uma verdadeira mudança. Sua eleição se deve mais ao desejo dos americanos virar a página Trump, diz o texto.

E preocupação diante do estado da democracia dos Estados Unidos. A ausência de Trump na cerimônia de transmissão do poder, com toda sua carga simbólica, mostra o quanto a fratura desse país é profunda.

La Croix afirma que é melhor que Trump esteja mesmo longe desta cerimônia carregada de simbolismo para a democracia do país. Isso para evitar cenas de violência como as vistas durante a invasão dos partidários do Republicano contra o Capitólio, no início de janeiro. “Nada seria pior que novos incidentes”, mesmo não tão violentos no mesmo lugar onde acontece a cerimônia de posse, acrescenta o diário católico.

Desafios de Hércules

Le Figaro escolheu a foto do Capitólio forrado de bandeiras para representar o púbico que não poderá assistir à cerimônia no local, para ilustrar sua manchete: “Joe Biden tem um mandato para reconciliar os Estados Unidos”.

O desafio dele é colossal e por isso Le Figaro o compara a Hércules. Mas ele não é semideus, e sua força não está nos músculos , mas na sua cicatrizes, diz o editorialista em referência às inúmeras tragédias pessoais que enfrentou, como a perda de membros de sua família. Biden não tem margem de erro: o futuro e a coesão dos americanos está em suas mãos, acrescenta.

Biden parece ter um plano para a pandemia, para a economia, para tudo, escreve Le Figaro. “Esperemos que ele tenha um plano também para o ódio, a mentira e a desconfiança que marcam a atual política americana”, afirma o jornal.

Le Parisien questiona se o “novo amigo americano” da França vai mudar as relações entre Washington e Paris.  O jornal lembra que Biden gostar de mencionar na sua árvore genealógica um parente francês chamado Robinette. Como vice-presidente de Obama, ele visitou a França. Na época, o presidente francês era o socialista François Hollande, que em entrevista ao Le Parisien garante: uma coisa é certa, seu estilo será mais construtivo e agradável.

O jornal diz esperara que Biden seja mais reconciliador principalmente sobre temas de comércio internacional. Os produtores de vinho, por exemplo, têm expectativa que Biden reduza os impostos de importação para os produtos da França. “Mas não devemos nos iludir. Assim como outros democratas no poder antes dele, Biden irá agir em defesa dos interesses de seu país”, alerta Le Parisien.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.