Trump retorna ao palanque e confirma influência no Partido Republicano

Donald Trump fez um discurso de uma hora e meia durante a convenção anual dos republicanos na Carolina do Norte, no sábado, 5 de junho de 2021.
Donald Trump fez um discurso de uma hora e meia durante a convenção anual dos republicanos na Carolina do Norte, no sábado, 5 de junho de 2021. REUTERS - JONATHAN DRAKE

Banido das redes sociais, o ex-presidente americano Donald Trump já flerta com a disputa à Casa Branca em 2024. Ausente do palanque desde fevereiro, Trump discursou na noite de sábado (5) na convenção anual do Partido Republicano na Carolina do Norte. Ele disse que a "sobrevivência da América" ​​dependia de uma vitória republicana nas eleições parlamentares de meio mandato, no ano que vem. 

Publicidade

Loubna Anaki, correspondente da RFI em Nova York

Trump chegou à convenção com a habitual hora de atraso e falou durante uma hora e meia no evento organizado em Greenville, no sudeste dos Estados Unidos. Diante de uma plateia de republicanos comprometidos com sua causa, o ex-presidente abordou seus temas preferidos, entre eles o balanço "extraordinário" de seu governo, em suas próprias palavras. 

Trump não perdeu a oportunidade de criticar a atual administração democrata de Joe Biden e todos aqueles que se atrevem a se opor a ele. Assim, alfinetou as decisões de seu sucessor, principalmente na área econômica. “Tudo que Joe Biden tinha a fazer era não fazer nada. Em vez disso, a economia está desmoronando e a inflação vai provocar uma catástrofe”, disse ele.

No final de maio, Biden propôs um orçamento de US$ 6 trilhões para "reinventar" a economia americana em 2022 que, se for aprovado pelo Congresso, levará o país a uma dívida recorde. Alguns especialistas temem que esse estímulo seja excessivo e acabe provocando um retorno da inflação.

Assim, Trump atacou o projeto de reestruturação dos democratas, assim como a política diplomática e de imigração da administração Biden. O suficiente para remobilizar seu eleitorado fiel, com as próximas eleições à vista.

“A sobrevivência de nossa nação depende de nossa capacidade de eleger republicanos em todos os níveis”, alertou. "Começando com as eleições de meio de mandato no ano que vem. Temos de vencer", insistiu. 

2024 na mira do magnata

Sobre a hipótese de voltar a disputar a Casa Branca, ele disse que estava "ansioso" para a chegada de 2024, sem detalhar quais são seus planos. Trump reiterou suas alegações infundadas de fraude eleitoral em massa durante a eleição presidencial de novembro de 2020.

"Esta eleição ficará para a história como o maior crime do século", disse o republicano. Até hoje, Trump não reconheceu explicitamente a vitória de Biden, quase cinco meses depois de deixar a Casa Branca.

A noite também foi uma oportunidade para Trump dar seu apoio oficial a alguns candidatos ao Congresso. Prova de que ele continua sendo um líder influente no Partido Republicano.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.