Argentina decreta cinco dias de luto após ultrapassar 100 mil mortes de Covid-19

Argentina ultrapassou os 100 mil mortos vítimas da Covid-19
Argentina ultrapassou os 100 mil mortos vítimas da Covid-19 REUTERS - AGUSTIN MARCARIAN

O governo argentino decretou cinco dias de luto nacional em homenagem aos mais de 100.000 mortos em decorrência do coronavírus. Um decreto confirmando a decisão foi publicado nesta quinta-feira (15) no Diário Oficial.

Publicidade

"Uma dor imensa atravessa toda a sociedade por todas e cada uma das pessoas que foram vítimas fatais da pandemia", explica o decreto assinado pelo presidente argentino, Alberto Fernández, e pelo chefe de Gabinete, Santiago Cafiero. Durante os dias de luto, a bandeira nacional permanecerá içada a meio mastro nos edifícios públicos.

A Argentina, país de 45 milhões de habitantes, atingiu na quarta-feira (14) 100.250 mortes causadas pelo coronavírus e um total de 4.702.657 casos notificados desde o início da pandemia em seu território, em março de 2020. Com o balanço, o país passa a ocupar a oitava posição no mundo em total de casos e a 11ª em óbitos. Em casos e mortes por cada milhão de habitantes, os argentinos estão na 13ª posição.

Nomes, vidas e afetos

"Cada uma dessas pessoas tinha um nome, uma vida, familiares, amigos, amigas e afetos", acrescenta o decreto em que Fernández pede aos argentinos para se conscientizarem "sobre a necessidade de atender aos cuidados individuais e coletivos". O governo também incentiva a continuar "avançando rapidamente com a maior campanha de vacinação da história do país".

Mais de 20,6 milhões de pessoas receberam, até quarta-feira, ao menos a primeira dose das vacinas contra a Covid-19, o que representa 60,85% da população maior de 18 anos e 45% da população total. Desses vacinados, 5,1 milhões já receberam a segunda dose (11%), de acordo com o Monitor Público de Vacinação.

(Com informações da AFP)

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.