Covid: fronteiras dos EUA com México e Canadá seguirão parcialmente fechadas até 21 de agosto

As restrições ao tráfego terrestre entre EUA e México foram implementadas em 21 de março de 2020 para conter a disseminação do coronavírus.
As restrições ao tráfego terrestre entre EUA e México foram implementadas em 21 de março de 2020 para conter a disseminação do coronavírus. AP - Eugene Garcia

Os Estados Unidos continuarão a limitar as travessias em sua fronteira comum com o México e com o Canadá até 21 de agosto para conter a disseminação da Covid-19. “O governo dos Estados Unidos nos informou sobre a decisão de estender o fechamento parcial da fronteira por mais um mês”, afirmou o Ministério das Relações Exteriores mexicano no Twitter nesta quarta-feira (21).

Publicidade

As restrições ao tráfego terrestre entre EUA e México foram implementadas em 21 de março de 2020 para conter a disseminação do coronavírus. Desde então, os dois países mantiveram a fronteira de mais de 3 mil km de extensão fechada para turistas ou visitantes ocasionais. A passagem de mercadorias, trabalhadores ou estudantes, no entanto, segue autorizada.

O governo mexicano planeja terminar a vacinação da população de seus municípios fronteiriços com os Estados Unidos visando à reabertura de sua fronteira norte. O chanceler mexicano, Marcelo Ebrard, e o secretário de Segurança Interna dos Estados Unidos, Alejandro Mayorkas, se reuniram em junho passado no México para acertar as medidas que os dois países tomariam para reabrir suas fronteiras terrestres.

O México, que tem uma população de 126 milhões, lançou seu programa em 17 de junho para vacinar todos os adultos na área de fronteira com doses do imunizante da Johnson & Johnson oferecidas pelo governo americano.

Os EUA têm mais de 34,1 milhões de pessoas infectadas e 609 mil mortes, enquanto o México registrou na terça-feira (20) 2,6 milhões de casos confirmados e 236.810 mortes por Covid-19.

Pessoas totalmente vacinadas

O Canadá, por sua vez, anunciou na segunda-feira (19) que começaria a autorizar a entrada em seu território de pessoas vindas dos EUA totalmente vacinadas contra a Covid-19 a partir de 9 de agosto.

Os Estados Unidos são o país mais afetado pela pandemia, seguido pelo Brasil, com 544.180 mortos, Índia (418.480), México e Peru (195.332).

A pandemia já matou pelo menos 4,119 milhões pessoas em todo o mundo desde o final de dezembro de 2019, de acordo com uma avaliação estabelecida pela AFP nesta quarta-feira a partir de fontes oficiais.

A OMS estima, levando em consideração o excesso de mortalidade direta e indiretamente vinculada à Covid-19, que o número de vítimas da pandemia possa ser de duas a três vezes maior do que o estabelecido oficialmente.

(Com informações da AFP e da Reuters)

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.