Canadá: partido de Trudeau vence pleito antecipado, mas premiê não consegue recuperar maioria

O próximo governo do Canadá será formado pelo Partido Liberal de Justin Trudeau, que obteve um terceiro mandato como primeiro-ministro após uma campanha difícil, anunciaram nesta segunda-feira (20) os meios de comunicação canadenses.
O próximo governo do Canadá será formado pelo Partido Liberal de Justin Trudeau, que obteve um terceiro mandato como primeiro-ministro após uma campanha difícil, anunciaram nesta segunda-feira (20) os meios de comunicação canadenses. REUTERS - CHRISTINNE MUSCHI

Os candidatos liberais do partido de Justin Trudeau venceram as eleições parlamentares do Canadá, um triunfo parcial para o atual primeiro-ministro, que não conseguiu recuperar a maioria após uma campanha que ser revelou mais difícil do que ele esperava.

Publicidade

De acordo com as projeções da imprensa canadense, o Partido Liberal conquistaria 155 cadeiras no Parlamento, abaixo das 170 necessárias para obter a maioria na Casa.

Trudeau prometeu em seu discurso da vitória, na madrugada de terça-feira (21), que trabalhará para que o país tenha um "futuro melhor" após a pandemia.

"Vocês (os canadenses) estão nos mandando de volta ao trabalho com um mandato claro para superar esta pandemia rumo a dias melhores", afirmou Trudeau, 49 anos, ao lado de sua esposa Sophie Gregoire e de seus filhos.

O chefe de governo convocou eleições antecipadas em meados de agosto para tentar recuperar a maioria que perdeu em 2019.

Mas após um início bastante favorável e pesquisas alentadoras, Trudeau enfrentou uma campanha especialmente complicada. O desgaste do poder foi percebido e a "Trudeaumania" de sua primeira eleição, em 2015, parecia algo muito distante.

Ele enfrentou manifestantes irritados com as medidas sanitárias contra a pandemia. Em um evento, uma pessoa chegou a lançar pedras contra o primeiro-ministro.

Durante a campanha, que durou 36 dias, Trudeau afirmou que o retorno dos conservadores ao poder seria o sinônimo de retrocesso, especialmente na questão climática.

"Estou orgulhoso de votar hoje, tenha certeza que você também fez o mesmo", afirmou o principal adversário de Trudeau, o conservador moderado Erin O'Toole, no Twitter, com uma foto diante da urna ao lado da esposa, na segunda-feira (20).

O'Toole havia prometido aos canadenses que ele seria a encarnação da renovação e fez uma sólida campanha de centro.

"Mas, no fim das contas, podemos afirmar que realmente foi uma campanha para nada", disse Felix Mathieu, da Universidade de Winnipeg, ao destacar que, em muitas províncias, os representantes "foram sistematicamente reeleitos".

Gestão da pandemia

"Não estou contente com esta votação, Justin tinha dito que não iria convocar eleições durante a pandemia, mas ele o fez assim que acreditou que era o momento certo para ter maioria. Então eu realmente creio que ele mentiu para nós", disse o eleitor Douglas O'Hara, revoltado, na entrada de sua zona eleitoral em Montreal. Pela primeira vez na vida, esse homem de 73 anos não votou no Partido Liberal.

Outros eleitores, porém, destacaram como Trudeau lidou com a crise de saúde e que o país tem uma das maiores taxas de vacinação do mundo.

“Para mim, a gestão da pandemia é a questão mais importante nesta eleição. E acho que o primeiro-ministro lidou bem com isso", argumentou Kai Anderson, de 25 anos, eleitor em Ottawa, a capital federal.

Durante a campanha, os candidatos se enfrentaram em temas como a mudança climática, a reconciliação com a população indígena, moradia acessível, vacinação obrigatória contra a Covid-19 e os passaportes sanitários.

O'Toole, de 48 anos, foi criticado por ter apoiado a flexibilização precoce das restrições sanitárias em Alberta e em outras províncias lideradas por conservadores, nas quais existem hoje surtos de Covid que forçam hospitais sobrecarregados a enviar pacientes para outras unidades de saúde no Canadá.

Os quase 27 milhões de canadenses com mais de 18 anos que estavam registrados para votar na segunda-feira definiram os 338 membros da Câmara dos Comuns.

(com informações da AFP)

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe todas as notícias internacionais baixando o aplicativo da RFI