México/Chacina

Grupo armado invade clínica de desintoxicação e mata 13 pessoas no México

Chacinas podem estar relacionadas com apreensão de 134 toneladas de maconha em Tijuana.
Chacinas podem estar relacionadas com apreensão de 134 toneladas de maconha em Tijuana.

A guerra dos cartéis promoveu novas chacinas neste final de semana no norte do México. Treze pessoas internadas em um centro para desintoxicação de drogas foram assassinadas na noite deste domingo, perto de Tijuana, na fronteira com os Estados Unidos.

Publicidade

O grupo armado invadiu a clínica, escolheu as vítimas, que ficaram enfileiradas contra a parede, antes de executá-las friamente, segundo relato da polícia. Todos estavam internados no local para se recuperar da dependência das drogas. No sábado, outras 14 pessoas haviam sido executadas em uma festa em Cidade Juarez, na fronteira com o Texas. De acordo com as autoridades locais, os crimes podem estar relacionados com a apreensão, na semana passada, de 134 toneladas de maconha, uma das maiores operações antidrogas da história do país.

A clínica de desintoxicação Camino A.C. fica localizada em uma zona semirural de Tijuana, próxima do local onde a polícia fez a apreensão da droga. Segundo as autoridades, o carregamento de maconha pertencia ao cartel de Sinaloa, chefiado por Joaquim "El Chapo" Guzman, o traficante mais procurado do México e dos Estados Unidos. O cartel de Sinaloa disputa o controle do tráfico em Tijuana, cidade vizinha de San Diego, na Califórnia, com o cartel de Arellano Félix. Ao todo, sete cartéis dominam o tráfico de drogas no México.

Esta não é a primeira vez que uma clínica de desintoxicação é atacada por narcotraficantes. Em setembro de 2009, um grupo armado invadiu um centro de reabilitação de drogados de Cidade Juarez, matando 18 internos. Em junho, 30 pistoleiros assassinaram 19 pessoas em um centro de desintoxicação de Chihuahua.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.