Estados Unidos/Economia

PIB americano cresce 2% no terceiro trimestre

O presidente do FED, Ben Bernanke, não deve anunciar no início de novembro novas medidas para reduzir ainda mais os juros e agilizar a recuperação econômica americana.
O presidente do FED, Ben Bernanke, não deve anunciar no início de novembro novas medidas para reduzir ainda mais os juros e agilizar a recuperação econômica americana. Reuters

A alta de 2% do Produto Interno Bruto (PIB) dos Estados Unidos era esperada pelos analistas, mas ela é insuficiente para encorajar adoção de um novo programa de estímulo econômico pelo Banco Central americano, FED.

Publicidade

A economia americana, que está saindo de seu mais longo período de recessão desde os anos 30, registra um crescimento pelo quinto trimestre consecutivo. No terceiro trimestre de 2010, ela progrediu 2% em ritmo anual, contra 1,7 por cento no segundo semestre. O crescimento acontece graças a um aumento do consumo interno, em alta de 2,6%. Os números divulgados pelo departamento de Comércio americano confirmam a previsão de crescimento médio feita pelos analistas.

Esse resultado, no entanto, não é considerado suficientemente bom para impedir um novo programa de flexibilização monetária, que pode ser decidido pelo FED durante sua próxima reunião, nos dias 2 e 3 de novembro. O desempenho também é considerado insuficiente para reduzir de maneira significativa o elevado nível de desemprego no país, que no final de setembro era de 9;6%.

Apesar de lenta, a recuperação econômica pode servir para ajudar o governo americano às vésperas de eleições legislativas que se anunciam difíceis para o partido do presidente Barack Obama.
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.