EUA/Eleições

Comediantes fazem protesto anti-Tea Party

Cartaz da Manifestação para "Restaurar a Sanidade" organizada pelo comediante Jon Stewart.
Cartaz da Manifestação para "Restaurar a Sanidade" organizada pelo comediante Jon Stewart. Divulgação

Às vésperas das eleições legislativas, enquanto as campanhas dos dois partidos pegam fogo faltando três dias para as eleições, e o movimento conservador do Tea Party ganha força, um protesto comandado por comediantes acontece neste sábado em Washington.

Publicidade

Um dos comediantes mais influentes do país Jon Stewart e seu colega Stephen Colbert organizaram neste sábado o “Rally para Restaurar a Sanidade”. Essa é uma manifestação para aqueles que estão cansados dos debates políticos nestes meses anteriores as eleições.

O nome do evento parece ser uma sátira ao movimento conservador que aconteceu no mesmo local no fim de agosto. O “Rally para Restaurar a Honra”, organizado por outra personalidade da televisão americana, o conservador Glenn Beck, convocava as pessoas a se voltarem para Deus e para os valores que fundaram a América. Stewart, porém, gosta de falar que a manifestaçao não é política. Em pesquisa realizada pelo site AskMen, o comediante e apresentador de talk show  foi escolhido o homem mais influente nos Estados Unidos em 2010.

Enquanto manifestações e campanhas acontecem por todo o país, a última pesquisa do « The New York Times » e da rede de televisão CBS mostrou que os eleitores independentes, e grupos de mulheres, de católicos e os americanos menos influentes que apoiaram Obama nas eleições presidenciais, tendem a mudar de lado agora e podem ajudar a definir o resultado.

De acordo com o levantamento, 46% desses eleitores pretendem votar em candidatos Republicanos e 40% em Democratas. Pesquisas mostram que o partido do presidente deve perder a maioria na Câmara dos Representantes e reduzir a vantagem no Senado.

Reta final

Em seu discurso semanal, o presidente Barack Obama disse que não importa o que aconteça nas eleições de terça-feira, os partidos Democrata e Republicano precisam trabalhar juntos para estimular a economia e a criação de empregos.

O recado foi para o líder republicano na Câmara que disse durante a semana que este não é o momento para firmar compromissos e também para o líder da oposição no Senado que afirmou que o seu objetivo principal depois destas eleições é simplesmente ganhar as próximas. Para o presidente, estes comentários são preocupantes.

Depois de deixar o recado, o presidente seguiu para mais um dia intenso de campanha. Neste sábado, Obama viaja para três estados: Pensilvânia, Nova York e Ilinois. E, no domingo, a campanha será no Estado estratégico de Ohio.

  Colaboração de Raquel Krähenbühl, correspondente da RFI em Washington

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.