Estados Unidos/Eleições

Americanos vão às urnas em eleições teste para Obama

Cartazes do presidente dos Estados Unidos e sua família no bairro de Hyde Park, em Chicago, reduto eleitoral de Obama.
Cartazes do presidente dos Estados Unidos e sua família no bairro de Hyde Park, em Chicago, reduto eleitoral de Obama. M.Paradon/RFI

A Câmara dos Deputados e um terço do senado serão renovados. A votação é considerada um teste para o presidente Barack Obama na metade de seu mandato. Segundo as pesquisas de opinião, o Partido Democrata pode perder a maioria no Congresso.

Publicidade

Todas as 435 vagas da Câmara dos Representantes estão em jogo e de acordo com as projeções o presidente deve ver o seu partido, o Democrata, perder a maioria. No senado, 37 das cem cadeiras vão ser renovadas. A expectativa é que os democratas também percam vagas, mas a pesquisa sobre quem fica com o controle da casa ainda é apertada. Os republicanos precisam de 10 cadeiras para ficar com a maioria e a corrida está bem disputada nos estados de Washington, Ilinois, Nevada, Pensilvânia, Colorado, West Virginia e Califórnia.

O último levantamento da rede de televisão CNN mostrou que 52% dos eleitores têm intenção de votar em candidatos republicanos, enquanto 42% pretendem votar em candidatos democratas. Além disto, os eleitores independentes, que foram cruciais para eleger o presidente Barack Obama em 2008, estão mudando de lado agora.

Mesmo assim, os americanos não acreditam em uma grande mudança caso os republicanos fiquem com a maioria no Congresso e ainda a maior parte deles não tem uma visão favorável do partido de oposição. O maior problema é que os americanos estão descontentes com o rumo do país.

Outro levantamento divulgado nesta segunda-feira pela CNN mostrou que 75% dos entrevistados acham que as coisas vão mal no país. A economia é a maior preocupação para 52% dos americanos. E este problema, principalmente a alta taxa de desemprego, dominou a pauta durante as campanhas. Os republicanos acusaram o governo e os democratas de insistirem em políticas caras, que aumentaram o tamanho do governo e não resolveram os problemas.

Do outro lado, o presidente e outras personalidades de peso do partido, percorreram o país para mostrar as conquistas do governo e explicar que tomaram as medidas necessárias para tirar os Estados Unidos da recessão. Os democratas insistiram ainda que os problemas econômicos foram herança do governo Bush.

Em seu último discurso antes das eleições, Obama disse que a única maneira de assegurar a manutenção de suas políticas e estimular a criação de empregos é manter os democratas no poder. O presidente americano pediu enfaticamente que os democratas compareçam às urnas.

As eleições desta terça-feira também vão definir 37, dos 50 governadores estaduais.

Raquel Krähenbühl, correspondente da RFI em Washington

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.