Desastre aéreo

França oferece ajuda para investigar queda de avião em Cuba

Equipes de resgate procuram os corpos das 68 vítimas do acidente de avião em Cuba, na noite de quinta-feira.
Equipes de resgate procuram os corpos das 68 vítimas do acidente de avião em Cuba, na noite de quinta-feira. Reuters

A agência civil francesa que investiga acidentes aéreos (BEA) e a fabricante franco-italiana de aeronaves ATR se colocaram à disposição de autoridades cubanas, nesta sexta-feira, para enviar equipes que podem ajudar nas investigações da queda de um avião que matou 68 pessoas na noite de quinta.

Publicidade

A aeronave commercial da companhia estatal cubana Aerocaribbean, um ATR-72, foi construída na França e na Itália pela empresa Avions de Transport Régional. Em caso de acidente com aviões fabricados pela França, a BEA costuma participar das investigações.

"Estamos aguardando uma notificação oficial das autoridades cubanas para enviar especialistas da ATR ao local do acidente", declarou um porta-voz do organismo.

O avião fazia a rota Santiago de Cuba-Havana e caiu na noite de quinta-feira na Província de Sancti Spíritu, sem deixar sobreviventes. Entre as 68 pessoas à bordo, estavam sete tripulantes, 40 passageiros cubanos e 28 estrangeiros (nove argentinos, sete mexicanos, um venezuelano, três holandeses, dois alemães, dois austríacos, um francês, um espanhol, um italiano e um japonês). Equipes de resgate estão à procura dos corpos das vítimas.

Antes da queda, a tripulação chegou a enviar um alerta de emergência, mas logo depois perdeu contato com os serviços de controle aéreo. Por enquanto as causas do acidente não são conhecidas

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.