Estados Unidos/Republicanos

Novo Congresso norte-americano ameaça reformas de Obama

Republicano John Boehn assume a presidência da Câmara no lugar da democrata Nancy Pelosi.
Republicano John Boehn assume a presidência da Câmara no lugar da democrata Nancy Pelosi. REUTERS/Jim Young

O novo Congresso dos Estados Unidos tomou posse na quarta-feira. A nova era deve ser conflituosa. Depois da derrota dos democratas nas últimas eleições legislativas, Barack Obama vai ter que negociar bastante com a oposição para conseguir aprovar seus projetos. A lei de reforma da saúde está ameaçada.

Publicidade

Da presidência da Câmara saiu a democrata Nancy Pelosi e tomou posse o republicano John Boehner. A escolha do novo líder já era prevista. Eleito representando o Estado de Ohio, Boehner no seu primeiro discurso como presidente da Câmara já deu o tom de como deve ser daqui pra frente: o deputado falou que está começando uma nova era de transparência e que seu partido vai legislar sensível às necessidades dos eleitores – porém, cabe dizer que ele se referiu aos eleitores simpatizantes do Tea Party – movimento ultraconsevador de direita. Ele também admitiu que haverá muitos conflitos nos próximos dias.
Os republicanos prometem cortar gastos públicos, lutar contra as regulamentações estatais que segundo eles são destruidoras de empregos e também revogar a Reforma da Saúde, aprovada há quase um ano por Barack Obama – de acordo com os republicanos ela é cara e fere o princípio de liberdade tão discutido nos Estados Unidos.
O deputado Eric Cantor, líder dos conservadores na Câmara, disse que seu partido irá propor a cada semana um projeto de lei de redução de despesas, incluindo até o Pentágono. Os republicanos ainda querem promover várias audiências para examinar atos do governo federal sobre assuntos como WikiLeaks, corrupção no Afeganistão, segurança alimentar e a regulamentação estatal.
Tomaram posse também nessa quarta-feira 35 novos senadores. No Senado, os Democratas continuam ainda com a maioria, dos 100 acentos eles têm 53.
O porta-voz da Casa Branca, Robert Gibbs, anunciou que vai deixar o cargo para trabalhar como consultor político e já começar a pensar na campanha de reeleição de Barack Obama. Ele disse ainda que vão ser anunciadas mudanças também na equipe econômica da Casa Branca até o fim de semana.

Cleide Klock, correspondente da RFI em Nova York.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.