Calor/USA

Onda de calor já matou 13 nos Estados Unidos

Americanos tentam amenizar o calor diante das altas temperaturas que atingem os Estados Unidos esta semana.
Americanos tentam amenizar o calor diante das altas temperaturas que atingem os Estados Unidos esta semana. Reuters

Os Estados Unidos sofrem com uma onda de calor inédita, que já matou pelos menos 13 pessoas. Mais de 20 Estados são atingidos e os termômetros ultrapassaram 50 graus no centro do país, surpreendendo os especialistas em meteorologia. A umidade extrema do ar provoca sensações térmicas ainda mais elevadas.

Publicidade

Segundo as autoridades norte-americanas, 24 Estados já foram atingidos pela onda de calor. As regiões que mais sofrem com as altas temperaturas são o centro do país, da fronteira canadense até o sul do Texas.

Na segunda-feira os termômetros marcaram 55 graus centígrados na cidade de Knoxville, no Estado de Iowa, enquanto Freeport, em Illinois, e Madison, no Minnesota, tiveram temperaturas de 51 graus. De acordo com a imprensa norte-americana, pelo menos 13 pessoas morreram vítimas do calor.

Segundo Christopher Vaccaro, porta-voz do serviço nacional de meteorologia, vários recordes foram batidos nos últimos dias no país. “Mas o que é realmente excepcional é a duração dessa onda de calor, sua intensidade e sua extensão”, disse ele. A situação é considerada “perigosa”, pois a umidade extrema do ar provoca sensações térmicas ainda mais elevadas, analisa o serviço.

As autoridades lançaram vários alertas no centro dos Estados Unidos para que os habitantes, principalmente os mais idosos, permaneçam em casa com o ar-condicionado ligado ou que aproveitem o frescor da climatização nos shoppings. Vários conselhos também foram divulgados para que a população possa identificar os primeiros sinais de desidratação.
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe todas as notícias internacionais baixando o aplicativo da RFI