Venezuela/sucessão

Venezuelanos escolhem novo presidente dia 14 de abril

Em foto distribuída pelo palácio de Miraflores, o presidente interino da Venezuela, Nicolás Maduro, observa foto de Hugo Chávez.
Em foto distribuída pelo palácio de Miraflores, o presidente interino da Venezuela, Nicolás Maduro, observa foto de Hugo Chávez. Reuters/Palácio de Miraflores

O Conselho Nacional Eleitoral da Venezuela anunciou que as eleições presidencias serão realizadas no próximo dia 14 de abril. Os candidatos podem se inscrever entre domingo e segunda-feira. Para cada candidato, serão convocados dez observadores internacionais. O candidato terá quatro minutos para fazer campanha na tv, cinco minutos para rádio, e poderá anunciar em meia página de jornal. As eleições municipais, que estavam marcadas para julho, foram adiadas e novas datas serão anunciadas.  

Publicidade

Elianah Jorge, correspondente da RFI em Caracas

Os seguidores de Chávez ainda se aglomeram nas longas filas em busca de ver, nem que por poucos segundos, seu corpo. No funeral de Chávez, além de líderes de Estado de todo o mundo, estiveram presentes o ator norte-americano Sean Penn, o reverendo Jack Jackson e os cineastas Oliver Stone e Michael Moore.

Na noite de sexta-feira, no mesmo dia em que foi realizada a cerimônia fúnebre de Hugo Chávez, Nicolás Maduro foi empossado como presidente interino da Venezuela. Na faixa presidencial, colocada em Maduro pelo presidente da Assembleia Nacional, Diosdado Cabello, havia oito estrelas em destaque, diferente da que Hugo Chávez havia recebido.

Maduro chegou acompanhado por sua "companheira de vida", Cília Flores, que é a procuradora geral da República. Integrantes de 29 delegacoes internacionais participaram do ato de juramentacao. Durante a posse de Maduro foi anunciado o novo vice-presidente: Jorge Arreaza, que foi ministro de Ciência e Tecnologia e é casado com a filha mais velha de Chávez, Rosa Virgínia.

Momentos antes da posse de Nicolás Maduro como presidente interino, o opositor Henrique Capriles Radonski fez um pronunciamento no qual chamou de fraude a decisão do Tribunal Supremo de Justica de empossar Maduro presidente interino e nao Diosdado Cabello, como determina a Constituição venezuelana.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.